Breaking News

2ª Marcha dos Orixás de Taboão aconteceu no domingo

 

fotoRose Santana 

Da Redação do Portal O Taboanense

Região | 28.07.2014

Promovida pela Ong Diversitas, com o apoio da prefeitura, a 2ª Marcha dos Orixás de Taboão da Serra, com o tema ‘Não toque em nossos terreiros! Não calem os nossos atabaques!’, aconteceu neste domingo, dia 27. A concentração foi no Shopping Pirajuçara e seguiu até o Supermercado Extra, próximo a avenida Antônio de Oliveira Salazar.

Uma das organizadoras do evento, Patrícia da Oxum, disse que a marcha cumpriu o papel de informar a comunidade sobre a religião. “Nossa intenção é mostrar nossa cultura, nossos cânticos e nossa dança. É um grito, um basta para a intolerância religiosa. Aqui reunimos líderes, casa de tradição de matizes africanas e umbandistas para mostrar a importância da nossa fé e nossos orixás ”.

 

Foto: Rose Santana

Apesar da baixa adesão, organizadores disseram que a marcha cumpriu seu objetivo
Apesar da baixa adesão, organizadores disseram que a marcha cumpriu seu objetivo

Para Patrícia o “medo” foi o principal motivo da baixa adesão, além do frio e da chuva. “Taboão tem 400 casas de Umbanda e Candomblé, infelizmente hoje existe um medo de sair às ruas com as vestes e fios de contas. Hoje somos 12, mas amanhã seremos 1.200. Só estamos começando e isso não vai parar, vamos continuar para nossos líderes e nossos governantes perceberem a nossa força”, falou.

“Taboão da Serra hoje ouviu nossa dança, nossos atabaques. Ninguém vai tocar nos nossos terreiros. Sofremos um preconceito velado, nós esperamos que o poder público seja parceiro nessa luta”, declarou o presidente da Ong Diversitas, Wanderley Bressan.

 

Extraído do site Portal O Taboanense

http://www.otaboanense.com.br/noticia/13220/2%C2%AA%20marcha%20dos%20orixas%20de%20taboao%20aconteceu%20no%20domingo

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *