Breaking News

5 presentes que você pode dar a Iemanjá sem emporcalhar o mar

2 de fevereiro é dia de festa no mar, em Salvador. E de levar presentes para a rainha das águas: Iemanjá.

Publicada em 25/01/2015 11:20:21

 

iemanja-no-candimble-400x267Mas eles bem que poderiam ser biodegradáveis. É o que propõe uma campanha de conscientização ambiental que busca reduzir o grande volume de lixo descartado durante a festa, no bairro boêmio do Rio Vermelho.

Integra a programação de atividades desenvolvidas na campanha a Oficina de Conscientização Ambiental com educadores da empresa de limpreza urbana, a Limpurb.

O encontro será dia 30 de janeiro, a última sexta-feira antes da Festa de Iemanjá, às 9h, na Biblioteca Juracy Magalhães Jr., no Rio Vermelho, e é aberto ao público.

Após a oficina, acontecerá uma adesivagem e distribuição de cartazes pelas ruas e estabelecimentos do bairro.

No dia 2, a partir das 8h, haverá uma orientação e entrega de peças de comunicação para os pescadores estimulando a entrega de presentes biodegradáveis. Além disso, a ideia é que durante a festa funcione também um sistema diferenciado para a coleta de lixo.

A campanha é realizada pelo Bairro-Escola Rio Vermelho e conta com a parceria da Limpurb, 10 escolas parcerias do Bairro-Escola, Sesi Rio Vermelho, Palhaços do Rio Ver?melho, Associação de Moradores e Amigos do Rio Vermelho (Amarv), ONG Gambá, e artistas, empresários e moradores do bairro.

Confira algumas dicas de presentes:

— Flores, preferencialmente, brancas
— Frutas como uva e maçã verde, pera e goiaba branca
— Alfazema sem a embalagem
— Sabonetes sem a embalagem
— Presentes sem plástico, vidro ou isopor

 

Nota da Redação do Jornal Awùre: A foto é mera ilustração e não pertence a matéria em questão.

 

Extraído do site do Jornal A Tribuna da Bahia
http://www.tribunadabahia.com.br/2015/01/25/5-presentes-que-voce-pode-dar-iemanja-sem-emporcalhar-mar

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *