Breaking News

6 motivos que fizeram a vitória da Mangueira no Carnaval do Rio mais do que merecida

Huffpost Brasil  |  De Amauri Terto

 

Publicado: 10/02/2016 20:41 BRST Atualizado: 10/02/2016 21:17 BRST

 

A Quarta-Feira de Cinzas (10) é dia de comemoração para os mangueirenses. A Estação Primeira de Mangueira foi eleita a grande a campeã do Grupo Especial do Carnaval no Rio de Janeiro em 2016.

A vitória veio depois de uma apuração acirrada na praça da Apoteose. A decisão veio apenas no último quesito – alegorias e adereços.

Com 269.8 pontos, a escola levou o título de campeã, seguida pela Unidos da Tijuca , com 269.7 pontos. A Portella ficou em terceiro lugar com 269.7 pontos.

A seguir, você confere 6 motivos que fizeram vitória da Mangueira mais do que merecida.

  1. Maria Bethânia
Rio de Janeiro, 08/02/2016 Desfile na | at Sapucaí – Grupo Especial Foto | Photo: Gabriel Santos | Riotur
Desfile na | at Sapucaí – Grupo Especial
Foto | Photo: Gabriel Santos | Riotur

Neste ano, a escola verde e rosa homenageou a cantora e compositora baiana Maria Bethânia, com o enredo Maria Bethânia, a Menina dos Olhos de Oyá. Nos carros alegóricos e fantasias, a escola relembrou a religiosidade da cantora, seus shows e sucessos interpretados ao longo dos 50 anos de carreira. Ovacionada pelo público, Bethânia desfilou no último carro da escola, que representava a sua paixão pelo circo. Deslumbrante!

  1. Luxo
Rio de Janeiro, 08/02/2016 Desfile na | at Sapucaí – Grupo Especial Foto | Photo: Tata Barreto| Riotur
Desfile na | at Sapucaí – Grupo Especial
Foto | Photo: Tata Barreto| Riotur

A vitória da escola quebra um jejum de 12 anos. Depois de um longo período de crises financeiras, que impediram bons resultados da escola no Grupo Especial, a Mangueira surpreendeu os espectadores com a beleza das fantasias apresentadas na avenida. Neste ano, o verde e rosa da escola foi bem acompanhado por muito dourado e efeitos especiais.

  1. Comissão de frente
io de Janeiro, 08/02/2016 Desfile na | at Sapucaí – Grupo Especial Foto | Photo: Marco Antônio Cavalcanti | Riotur
io de Janeiro, 08/02/2016
Desfile na | at Sapucaí – Grupo Especial
Foto | Photo: Marco Antônio Cavalcanti | Riotur

Realmente um caso à parte. Formada por 15 bailarinas negras com figurinos que deixavam os seios à mostra, a comissão de frente trazia em sua coreografia a representação das guerreiras de Oyá – orixá relacionada à sensualidade e valentia.

  1. Abre-Alas
Rio de Janeiro, 08/02/2016 Desfile na | at Sapucaí – Grupo Especial Foto | Photo: Gabriel Santos | Riotur
Desfile na | at Sapucaí – Grupo Especial
Foto | Photo: Gabriel Santos | Riotur

Representando orixás presentes na vida da cantora baiana: Iansã, Oyá e Oxum, o carro abre-alas contava com um inusitado efeito especial: jatos de água eram lançados sobre a figura de Oxum – a deusa que habita as águas doces. Em um trono do carro, em destaque, ficou o sambista Nelson Sargento.

  1. Bateria
Rio de Janeiro, 08/02/2016 Desfile na | at Sapucaí – Grupo Especial Foto | Photo: Fernando Grilli| Riotur
Rio de Janeiro, 08/02/2016
Desfile na | at Sapucaí – Grupo Especial
Foto | Photo: Fernando Grilli| Riotur

Quem viu a escola desfilar de perto pôde participar do samba-enredo por meio das paradinhas e frases de efeito destacadas pelaMangueira neste ano. Além disso, pôde também se deslumbrar com a chuva de confetes que a bateria – fantasiada de “fera ferida” – soltou na avenida.

  1. Estrelas

o-BETHNIA-9-900
Estação Primeira de Mangueira levou para a avenida uma verdadeira constelação de estrelas. Divididos pelos carros alegóricos e destques de chão, desfilaram artistas como Caetano Veloso, Regina Casé, Zélia Duncan, Cauã Reymond, Adriana Calcanhotto, Mart’nália, Beth Carvalho, Chico César, entre outros.

 

No mais, deixamos com a palavra o irmão mais velho de Bethânia, Caetano Veloso:

 

 

Extraído do portal de notícias HuffPost do Brasil, licenciada à Editora Abril pelo The Huffington Post
http://www.brasilpost.com.br/2016/02/10/mangueira-carnaval-_n_9204668.html

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *