Breaking News

Acusado de assassinar adolescente em suposto ritual é preso em AL

Polícia 18h17, 06 de Fevereiro de 2014

Danielle Silva e Izabelle Targino

{5e4d67d9-e428-479e-8353-c15fd515d879}_bruxo
Edvaldo Correia de Lima, 41 anos
Izabelle Targino/Alagoas24Horas

Uma denúncia anônima encaminhada à Secretaria de Defesa Social levou a polícia até o esconderijo de Edvaldo Correia de Lima, 47 anos, alagoano que estava sendo procurado em São Paulo como principal suspeito do assassinado do adolescente Mateus Ramos dos Santos, 15 anos, ocorrido em 28 de janeiro do mês passado, no Guarujá (SP).

Em entrevista coletiva à imprensa, na tarde desta quinta-feira, 6, o comandante da Força Nacional em Alagoas, Wendel Malinosky e o delegado de Homicídios, Cícero Lima, informaram que as informações chegaram há cerca de cinco dias, através do Disque Denúncia (181) e as equipes partiram para investigação.

Nesta tarde, por volta das 15h, seis homens da Força Nacional com o apoio da Polícia Civil e Militar cercaram a casa onde ele estava vivendo, no conjunto Teotonio Vilela, em Rio Largo, pertencente a parentes do acusado e deflagraram a prisão, sem resistência.

Em entrevista à imprensa, no auditório da Secretaria de Defesa Social, Edvaldo Correia negou o crime. Ele disse que tinha ido a São Paulo para acompanhar o nascimento de um parente, sem dar detalhes, e confirmou que conhecia a vítima, mas não teria feito nenhum mal a ela. Questionado sobre o motivo pelo qual teria fugido para Alagas, ele disse que depois do crime, moradores da localidade teriam destruído sua casa, por isso retornou à terra natal: “Eles me julgaram e me condenaram, por isso, tive medo do que poderiam fazer”. O acusado também foi questionado sobre a possibilidade de o crime ter sido passional, mas voltou a negar.

Entenda o Caso

O assassinato do adolescente chocou os moradores do Guarujá no Litoral de São Paulo. O corpo do rapaz foi encontrado com marcas de perfuração por arma branca (faca) e queimado perto de uma cachoeira. À época, a família e a polícia suspeitaram que o garoto teria sido usado em um ritual de magia negra. Naquele momento o principal suspeito era Edvaldo, considerado um amigo da família. O motivo apontado pelos mais próximos, é que o acusado teria se apaixonado pelo garoto.

Matheus Ramos dos Santos morava no Perequê com a mãe e os irmãos. No dia 27 de janeiro passou o dia na casa da namorada e, durante a noite, se encontrou com Edvaldo. No dia seguinte o garoto foi encontrado morto.

O jovem foi esfaqueado na cabeça e no rosto, além de ter os olhos queimados com cera de vela.

Crime Passional

O cunhado do jovem, o carpinteiro Sérgio Almeida Oliveira, de 40 anos, disse que vítima e suposto assassino eram muito próximos, mas brigavam muito porque Edvaldo não gostava da namorada de Matheus. “Ele é homossexual. Ele queria ter um caso com o Matheus, mas o menino não queria. O Matheus arranjou uma namorada e o assassino sempre xingava ela”, conta Oliveira, em entrevista para o G1.

Nos últimos dias de vida, Mateus teria dito ao irmão que tinha discutido com Edvaldo e que o homem teria o ameaçado.

Acusado ficará à disposição da Justiça de SP

O delegado Cícero Lima disse que Edvaldo Correia será encaminhado à Casa de Custódia de Maceió, onde ficará à disposição da Justiça de São Paulo, responsável pela expedição do mandado de prisão. O delegado também entrará em contato com a Delegacia de Homicídios de São Paulo para relatar a prisão.

{bf64b465-2f40-4a72-91e3-ecae1a03f796}_coletiva
Coletiva
Izabelle Targino/Alagoas24Horas

Extraído do Portal Alagoas 24h

http://www.alagoas24horas.com.br/conteudo/?vCod=187901

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *