Administrador da Catedral de São João Batista pede mais segurança

Administrador da Catedral de São João Batista pede mais segurança

17 de janeiro de 2017 0 Por Sérgio D`Giyan

Enviado por: Samuel Castro
A secretária Dorcas Martins estava na igreja no momento em que o homem quebrou a imagem
A secretária Dorcas Martins estava na igreja no momento em que o homem quebrou a imagem. Foto: Alex Ramos

Por Marcela Freitas

Após o ataque de um homem à Catedral de São João Batista, no Centro de Niterói, a administração do templo estuda aumentar a segurança ao redor da igreja. A administração do local vai solicitar uma reunião com a Prefeitura de Niterói a fim de buscar apoio da Guarda Municipal para evitar outras ações de vandalismo.

De acordo com o administrador, que pediu para não ser identificado, eles estudam de que maneira a segurança pode ser melhorada e que o templo continua aberto aos fiéis. “Uma segurança fixa seria muito oneroso, já que o período que a igreja permanece aberta é muito grande. Pedimos apoio da PM e vamos ver se a guarda também pode nos auxiliar. Infelizmente, esse tipo de ação é imprevisível”.

Ainda segundo o administrador, as imagens danificadas estão guardadas na Catedral a espera de técnicos que possam avaliar os estragos. “A imagem do Senhor dos Passos foi restaurada no ano passado. Desta vez, acreditamos que não seja possível restaurar porque o dano maior foi no rosto. Essas áreas são mais difíceis de restauração”, disse.

Ainda segundo o administrador, os prejuízos históricos são incalculáveis. “A imagem do Senhor dos Passos e de Nossa Senhora das Cabeças são centenárias. O valor delas ultrapassariam os R$30 mil, mas não é possível calcular uma peça pelo valor histórico”, explicou.

O diácono permanente Renato Rodrigues Dias, que tentou impedir o ataque do homem, sofreu um corte no peito, mas sem gravidade. “Foi a mão de Deus que me salvou. Se aquela imagem tivesse caído em cima de mim por completo, eu teria me ferido bastante. Graças a Deus, foi um corte superficial e eu estou bem”, disse.

Codir – O coordenador da Coordenadoria de Defesa dos Direitos Difusos e Enfrentamento à Intolerância Religiosa (Codir) da Prefeitura de Niterói, Nedson Eckhardt, vai à Catedral hoje. “Vivemos numa sociedade plural. A religião de cada pessoa está diretamente ligada à sua identidade e a diversidade religiosa representa como cada indivíduo reconhece a sua fé. A intolerância gera violência. O que aconteceu na Catedral São João Batista é um lamentável crime de intolerância religiosa. Uma agressão que transcende o dano material e fere a cada um que, pela religião, manifesta bondade, afeto, amor e irmandade”, ressaltou o coordenador.

Recordando – Um homem, formado em Tecnologia da Informação (TI), de 34 anos, foi detido após quebrar duas imagens sacras na Catedral São João Batista, no Centro, no último sábado.

De acordo com a secretária Dorcas Martins, o homem entrou no templo, por volta das 11h30, e quebrou a imagem de Nossa Senhora das Cabeças. Questionado sobre o ato, o acusado alegou ter esbarrado na obra e respondeu que se não chamasse a polícia, quebraria outras. O homem foi contido por fiéis, que chamaram a polícia. Conduzido à 76ª DP (Centro), ele afirmou ser cristão, intolerante religioso e simpatizante do Estado Islâmico, além de acreditar que todas as religiões praticam o mal. Ele foi autuado por vilipêndio a objeto religioso e lesão corporal, mas foi liberado e responderá em liberdade.

 

Extraído do site do Jornal O São Gonçalo / São Gonçalo – RJ
http://www.osaogoncalo.com.br/geral/21248/administrador-da-catedral-de-sao-joao-batista-pede-mais-seguranca