Breaking News

Afoxé Filhos de Gandhi-Rio se apresenta no encerramento do projeto Ocupação África Diversa, na Gamboa

Texto: Priscila Bispo (release)
Fotos – Mazé Mixo
 

Jongo, ijexá, samba de roda e, é claro, o tradicional afoxé são alguns dos ritmos que os Filhos de Gandhi levam para o encerramento do projeto Ocupação África Diversa, no Centro Cultural José Bonifácio, no próximo dia 20 de janeiro, a partir das 18h, com entrada franca. A iniciativa faz parte do Programa Porto Maravilha Cultural, com ações educativas ministradas por artistas, pesquisadores e educadores das áreas de dança, música, narração oral, antropologia, literatura e cinema.

Aos 62 anos de existência, o grupo é o primeiro bloco afro ainda em atividade do estado do Rio. A criação do afoxé no Rio aconteceu em 12 de agosto de 1951, por estivadores e trabalhadores da área do Cais do Porto e adjacências ligados às religiões afro-brasileiras e recém-chegados de Salvador, Bahia, onde o grupo original surgiu um ano antes. O patrono do afoxé é Mahatma Gandhi, líder e pacifista indiano.

Desde sua fundação o grupo é reconhecido como um movimento de manifestação cultural, que levanta a bandeira da preservação e do desenvolvimento da cultura afro-brasileira, através das mais diversas possibilidades do gênero no cenário regional e popular do país.

 

Serviço

Entrada Franca

Filhos de Gandhi-Rio — Encerramento projeto Ocupação África Diversa

Data: 20 de janeiro – às 18h

Local: Centro Cultural José Bonifácio

Endereço: Rua Pedro Ernesto, nº 80, Gamboa, Rio de Janeiro

Tel: (21) 2233-7754

Mazé Mixo - 48 Presente de Yemanjá_Afoxé Filhos de Gandhi (72) Mazé Mixo - Afoxé Filhos De Gandhi-Rio (2) Mazé Mixo - Afoxé Filhos De Gandhi-Rio (3) Mazé Mixo - Afoxé Filhos De Gandhi-Rio (4)

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *