Breaking News

Alvorada dos Ojás pede o fim da violência contra jovens

Da redação | Seg, 17/11/2014 às 19:17 | Atualizado em: 17/11/2014 às 19:45  
Divulgação | Fafá M. Araújo Árvores são amarradas com tecido branco pelo fim da violência contra negros e intolerância religiosa
Divulgação | Fafá M. Araújo
Árvores são amarradas com tecido branco pelo fim da violência contra negros e intolerância religiosa
Em comemoração ao Dia da Consciência Negra, os adeptos dos cultos de matrizes africanas vão promover, nesta quinta-feira, 20, a Alvorada dos Ojás pelo sétimo ano consecutivo em Salvador e Lauro de Freitas. A atividade, na qual as árvores da cidade são amarradas com tecidos brancos utilizados durante as obrigações do candomblé (os ojás), é promovida pelo Coletivo de Entidades Negras (CEN), entidade nacional do Movimento Negro. O principal objetivo é combater o extermínio da juventude negra das periferias e a intolerância religiosa. Além de exigir respeito e combater a intolerância religiosa, a atividade puxará, em 2014, uma campanha a favor do Projeto de Lei 4471/12, que, se aprovado, extinguirá os autos de resistência. Prestes a ser votada no plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília, a proposta é de autoria do deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) e prevê a investigação das mortes e lesões corporais cometidas por policiais durante o trabalho. Atualmente, os casos são registrados como autos de resistência (ou resistência seguida de morte) e não são investigados. Manifesto Para dar início à alvorada, um ato político será realizado em Lauro de Freitas às 8h desta quinta-feira, 20. Na ocasião, militantes do Movimento Negro vão caminhar do Terreiro São Jorge da Goméia, no bairro de Portão, até o Centro de Referência Mãe Mirinha, onde uma árvore será amarrada com o ojá, dando início oficialmente à sétima edição da alvorada. Segundo o ativista negro Ricardo Andrade, a escolha de Lauro de Freitas para receber a atividade deu-se por causa dos cotidianos assassinatos de jovens negros por policiais militares no município - muitos forjados para parecerem auto de resistência. "Essa foi a forma que encontramos para pedir paz e exigir que o extermínio da nossa juventude tenha fim e seja investigado", explica o militante. Por causa da importância do Dia da Consciência Negra, feriado municipal em Lauro de Freitas, o prefeito Márcio Paiva (PP) convocou o funcionalismo público a participar da atividade no dia 20. "A conclamação visa também o combate ao racismo institucional do Estado", destaca Andrade. Amarração Em Salvador, a Alvorada dos Ojás acontece na madrugada de quinta, 20, para sexta, 21, entre 21h e 5h, com a amarração dos tecidos em árvores no Dique do Tororó, Corredor da Vitória, Itapuã (até a Lagoa do Abaeté), Avenida Paralela (em frente ao Centro Administrativo da Bahia - CAB) e no bambuzal do Aeroporto Internacional Dois de Julho. O encerramento das atividades deste ano será no domingo, 23, das 10h às 14h, quando o palco flutuante do Dique receberá diversas atrações culturais, como o bloco Cortejo Afro (com convidados) e as bandas Bicho da Cana, Banjolada, Toti Gira e Opanijé.     Extraído do site do Jornal A Tarde / Salvador-BA http://atarde.uol.com.br/bahia/salvador/noticias/1639954-alvorada-dos-ojas-pede-o-fim-da-violencia-contra-jovens

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *