Breaking News

Animais que seriam vendidos para rituais religiosos são resgatados pela polícia

Quase 500 bichos estavam em uma loja de Campo Grande e sofriam maus tratos. O dono pode ser condenado a prisão — de três meses a um ano — e pagar multa por cometer crime ambiental

11/01/2017 10:46:10 – ATUALIZADA ÀS 11/01/2017 10:55:52

O DIA

Animais foram encontrados em péssimas condiçõesDivulgação / Polícia Civil
Animais foram encontrados em péssimas condições. Divulgação / Polícia Civil

Rio – Policiais da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) apreenderam, nesta terça-feira, quase 500 animais — entre eles galinhas, patos, pombos e bodes — que viviam em condições precárias na loja Toca dos Bichos, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio. Os bichos estavam amontoados, sem condições adequadas de alimentação e higiene. Alguns estavam mortos.

De acordo com a Polícia Civil, os animais eram vendidos principalmente para rituais religiosos, bem como para a alimentação. Durante as buscas, os agentes encontraram galinhas que ficavam amarradas com cordas nos pés. As aves estavam acompanhadas de coelhos vivos e mortos. Muitos dos bichos estavam sem água limpa. Os galos ficavam em locais pequenos, e não conseguiam ficar de pé, enquanto os bodes e cabras ficavam em cima do comedouro por falta de espaço.

 

Animais estavam sem águaDivulgação / Polícia Civil
Animais estavam sem água. Divulgação / Polícia Civil

Segundo a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, a operação aconteceu após uma denúncia. O proprietário da loja Toca dos Bichos, Cristiano de Azevedo Fernandes, pode ser condenado a detenção de três meses a um ano e multa por cometer crime ambiental. Os animais foram apreendidos e encaminhados para alguns santuários.

Os bodes ficam em cima do local onde comiam. Divulgação / Polícia Civil
Os bodes ficam em cima do local onde comiam. Divulgação / Polícia Civil

 

Extraído do site do Jornal O Dia on line / Rio de Janeiro – RJ
http://odia.ig.com.br/rio-de-janeiro/2017-01-11/animais-que-seriam-vendidos-para-rituais-religiosos-sao-resgatados-pela-policia.html

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *