Breaking News

Associação de Mídia Afro ministra workshop para discutir a adoção do Ioruba como referência cultural pelo IPHAN

Texto: Sérgio d´Giyan

atualizado em 02.07.2017 12:31

O Templo de Jagun, localizado no bairro de Bonsucesso, zona norte do Rio de Janeiro, será palco, no dia 14 de julho, do worshop “Iorubá – idioma de resistência”, que irá abordar a adoção do idioma africano no INDL – Inventário Nacional de Diversidade Linguística, como referência cultural preservada em curso pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. O evento é decorrência do seminário realizado, no mês passado, nas dependências do IPHAN, com a participação de diretores e técnicos daquela instituição.

A discussão é necessária para que os adeptos dos cultos afro-brasileiros possam estar informados da importância que o assunto requer. O iorubá será o primeiro idioma africano a receber esse conceito, dado até agora aos idiomas de origem indígena, como o tupi-guarani, por exemplo. Essa iniciativa, impulsionada pela ANMA, Associação Nacional de Mídia Afro, abre o caminho para que os outros idiomas de origem africana, como o bantu, quimbundo, quicongo, fon, e que são faladas dentro das casas de santo possam ser preservadas e incluídas no INDL.

O Templo de Jagun fica localizado na Rua Saint Hilaire, 60, em Bonsucesso, próximo da saída 7 da Linha Amarela.

Programa
19h00 – Recepção aos convidados
19h20 – Boas-vindas por Pai Renato d´Obaluaiyé – Vice Presidente da ANMA
19h30 – “2013/2017 – ANMA e sua trajetória” por Ignez d´Yansã e Sérgio d´Giyan – Diretores da ANMA
20h00 – Palestra: “O Idioma Ioruba e sua Importância Histórica e Cultural” por Marcio de Jagun – Pres. da ANMA
20h30 – Jantar por Nando Festas

 

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *