Associação de Mídia Afro parabeniza jornalista por assumir erro em reportagem no Le Monde

 

Sérgio d´Giyan – 20.08.2016 03:53

Foto: internet

 

thiago-braz-olimpiadas

A ANMA – Associação Nacional de Mídia Afro, com sede no Rio de Janeiro, reagiu com simpatia à citação do Candomblé na referência às declarações de Philippe d´Encausse, técnico do atleta francês Renaud Lavillenie, após derrota para o atleta brasileiro Thiago Braz da Silva que levou a medalha de ouro na modalidade salto com vara, na noite da última segunda-feira, no Estádio Olímpico do Engenhão, durante as Olimpíadas de 2016.

Não obstante, total ignorância sobre a religião, o jornalista, ao alegar que Philippe havia declarado que “forças místicas”, atribuídas ao Candomblé fossem o responsável pela derrota de Renaud, proporcionou à religião, mídia espontânea em veículos nacionais e internacionais.

O que o jornalista não sabe, é que o Candomblé não é uma “força mística” para almejar qualquer objetivo, se assim fosse, como dizia Neném Prancha, conhecido como “filósofo do futebol” por suas frases espirituosas, o campeonato baiano terminaria empatado. O que o correspondente do Le Monde deve saber é que o Candomblé é uma religião forjada no Brasil por ancestrais que foram escravizados na África, para louvar a natureza através de seus orixás. É uma religião que aglutina a gastronomia, a música, a dança e a fé em seus rituais.

Quanto às declarações do pastor Silas Malafaia, da Igreja Vitória em Cristo, a ANMA, assegura, que assim como todos os evangélicos que torceram por Thiago Braz, orando a Deus e Jesus para que ele se sagrasse campeão na disputa pela medalha de ouro, todos os umbandistas e candomblecistas também oravam ao mesmo tempo para que o atleta evangélico tivesse sucesso naquele dia. Assim como Deus e Jesus honrou suas preces, Olorun e Oxalá também honraram as preces de seus discípulos. Afinal, todos somos brasileiros.

A ANMA – Associação Nacional de Mídia Afro é uma organização sem fins lucrativos criada por representantes do setor para defender a cultura e a religiosidade de matriz africana no âmbito da mídia nacional e internacional. A ANMA foi fundada em agosto de 2012 e sua sede está localizada no Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *