Breaking News

Associação de Mídia Afro parabeniza jornalista por assumir erro em reportagem no Le Monde

 

Sérgio d´Giyan – 20.08.2016 03:53

Foto: internet

 

thiago-braz-olimpiadas

A ANMA – Associação Nacional de Mídia Afro, com sede no Rio de Janeiro, reagiu com simpatia à citação do Candomblé na referência às declarações de Philippe d´Encausse, técnico do atleta francês Renaud Lavillenie, após derrota para o atleta brasileiro Thiago Braz da Silva que levou a medalha de ouro na modalidade salto com vara, na noite da última segunda-feira, no Estádio Olímpico do Engenhão, durante as Olimpíadas de 2016.

Não obstante, total ignorância sobre a religião, o jornalista, ao alegar que Philippe havia declarado que “forças místicas”, atribuídas ao Candomblé fossem o responsável pela derrota de Renaud, proporcionou à religião, mídia espontânea em veículos nacionais e internacionais.

O que o jornalista não sabe, é que o Candomblé não é uma “força mística” para almejar qualquer objetivo, se assim fosse, como dizia Neném Prancha, conhecido como “filósofo do futebol” por suas frases espirituosas, o campeonato baiano terminaria empatado. O que o correspondente do Le Monde deve saber é que o Candomblé é uma religião forjada no Brasil por ancestrais que foram escravizados na África, para louvar a natureza através de seus orixás. É uma religião que aglutina a gastronomia, a música, a dança e a fé em seus rituais.

Quanto às declarações do pastor Silas Malafaia, da Igreja Vitória em Cristo, a ANMA, assegura, que assim como todos os evangélicos que torceram por Thiago Braz, orando a Deus e Jesus para que ele se sagrasse campeão na disputa pela medalha de ouro, todos os umbandistas e candomblecistas também oravam ao mesmo tempo para que o atleta evangélico tivesse sucesso naquele dia. Assim como Deus e Jesus honrou suas preces, Olorun e Oxalá também honraram as preces de seus discípulos. Afinal, todos somos brasileiros.

A ANMA – Associação Nacional de Mídia Afro é uma organização sem fins lucrativos criada por representantes do setor para defender a cultura e a religiosidade de matriz africana no âmbito da mídia nacional e internacional. A ANMA foi fundada em agosto de 2012 e sua sede está localizada no Rio de Janeiro.

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *