Ataques às casas de Umbanda e Candomblé crescem com golpe de Estado

Ataques às casas de Umbanda e Candomblé crescem com golpe de Estado

12 de setembro de 2017 0 Por Sérgio D`Giyan

 

2017/09/06 as 00:00HS

 

Tem aumentado exponencialmente o ataque às religiões de matriz africana. O último ocorrido foi em Nova Iguaçu (RJ), onde um centro teve portas arrombadas, itens furtados e destruição de artigos religiosos. Essa perseguição é fruto da intolerância religiosa plantada pela bancada evangélica golpista. A mesma que tenta burlar o sistema de estado laico, uma vez que é garantido a livre liberdade de expressão religiosa.

Com o golpe de Estado, a investida da bancada reacionária é a de atacar toda e qualquer religião que não corresponda com a deles. Da mesma forma, utilizam sua força para intervir em decisões políticas, ou seja indo mais uma vez contra a laicidade do país.

O próprio Estado na maioria das vezes não classifica tais atos como intolerância religiosa, apenas visam os danos materiais do local. O que acaba reforçando a política conservadora e moralista da bancada evangélica. A atitude fascista se desdobrou ainda mais em Santa Luzia (MG), onde os centros foram submetidos a toques de recolher, tendo sua liberdade censurada e limitada debaixo de rígidos horários a serem cumpridos. Foi exigido também o isolamento acústico do local.

Todo repúdio à censura e violação da liberdade e o direito de religião. Isso mostra que o ataque não é somente as religiões de matriz africana, mas propriamente aos negros que, nessas religiões, é a maioria praticante, é preciso agir contra medidas fascistas que ferem os direitos por lei garantidos através da constituição de comitês de luta contra o golpe.

 

Extraído do site do Jornal Diário on line Causa Operária / São Paulo – SP
http://causaoperaria.org.br/blog/2017/09/06/ataques-as-casas-de-umbanda-e-candomble-crescem-com-golpe-de-estado/