Breaking News

Babazinho Rhay Ty Osogiyan desmistifica em vídeo culto às iyamins

Acesse o vídeo no link para ter acesso ao conteúdo do vídeo em que Babazinho Rhay Gondim Ty Osogiyan e David Ty Osun dissertam sobre o culto às Íyámi-Òsoòrongà. O texto é esclarecedor e aquele que tiver curiosidade sobre o tema deve assistir.

Link:  http://www.youtube.com/watch?v=YIwirYtNx7k

Íyámi-Òsoòrongà ritualisticamente falando represente a força governante da Terra, que mantém o elo entre as pessoas e os elementos da superfície.

 

 

Perfil:

Sou Raylson Gondin T’Osogiyan mais conhecido como Babazinho Rhay T’Osogiyan, nasci na cidade de João Pessoa, capital do Estado da Paraíba, onde conheci o famoso catimbó da Jurema. Aos 10 anos fui morar na cidade do Rio de Janeiro, onde comecei a frequentar o Candomblé. Fui iniciado no culto afro-brasileiro na Nação de Lokiti-Efon, no dia 20 de julho de 2009, com o Babalorixá Fabyo Motta T’ Ògún, sendo o primeiro Osogiyan iniciado no asé.  “Vi o asé do meu Babá sempre crescer mais e mais e assim fui aprendendo sempre ao seu lado ajudando no que era possível”. No ano de 2011 tive o prazer de viajar em prol da nossa linda religião para vários estados e cidades: Fortaleza, Minas Gerais e São Paulo onde pude aprender bastante e assim voltar ao Rio de Janeiro, dando os primeiros passos na Religião. Tomeis posto no asé de meu Babalorixá para o cargo de Babákekêre, e no “Ilê Asé Afaomã Laiyê”, do meu querido amigo Dercyo T’ Oluaiyê, recebi o cargo de Babáegbé dessa maravilhosa casa. Atualmente moro em São Paulo. Como todo bom filho de Osogiyan o aprendizado para mim sempre foi importante, é o que motivou e motiva a crescer a cada dia mais nos cultos afros. Apesar do preconceito de muitos zeladores pelo fato de não ser ainda um ègbómi, minha resposta a isso vem de um saudoso Babalorixá do Rio de Janeiro, a quem admiro muito, e que diz “QUE IDADE É POSTO E NÃO CONHECIMENTO”. Levo a vida como tem que ser levada, cultuando e amando os orixás.

 

No vídeo falando mais sobre o culto das íyàmi òsorongás, o qual aprendi nesses últimos anos, junto com meu amigo de asé David T’ Osún, da cidade de São Paulo, trago um grau de conhecimento, coisas sobre essa ancestralidade maior e que ficou perdida e um pouco deixada de lado em muitas casas de matriz africana. A intenção é despertar na mulher o poder da alma feminina, o tal poder que a alma da mulher tem. Espero que gostem do vídeo. Dúvidas, sugestões e críticas sempre serão bem-vindas no e-mail: gondinrhay@oultlook.com

 

Contatos:
Rio de Janeiro (RJ) 21 98345-1750 (Tim) / 7707-8223 (Nextel) | São Paulo (SP): 11 99465-2756 (Claro) 5833-3469 (Fixo)

2029_287800514681091_53033872_n

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *