Breaking News

Brasília recebe espetáculos gratuitos de todo País até este domingo

 

Raquel Martins Ribeiro Quarta-| feira, 11/03/2015 às 07:58:26

 

Especial para o Jornal de Brasília

11vv28f1jpg_806Com companhias teatrais do Rio Grande Do Norte, Bahia, Goiás e Rio Grande do Sul, além do Distrito Federal, a 18ª edição do Palco Giratório ocupa o Sesc de Ceilândia, da 913 Sul, de Taguatinga Norte e do Gama, de hoje a domingo.

O festival promove, por meio de espetáculos, oficinas e seminários, a troca de experiências entre artistas e plateia. Oportunidade para o brasiliense conhecer grupos e montagens que raramente desembarcariam na capital de outra maneira.

Para Rogero Torquato, diretor do Grupo de Pesquisa Cênica do Sesc-DF, o Palco Giratório é fundamental para a descentralização e democratização do teatro. “O festival possibilita que artistas circulem por todo o País, mostrando sua arte para um número muito maior de pessoas”, explica. Segundo o diretor, ganham as companhias e, muito mais, o público.

“É um intercâmbio intenso. Aprendemos e trocamos experiências uns com os outros. O público também participa dos debates e bate-papos ao fim de cada apresentação. E, com certeza, sai de lá enriquecido”, pondera o diretor.

O grupo do DF leva aos palcos a peça O Auto da Compadecida, uma remontagem do clássico de Ariano Suassuana. “É uma adaptação para o teatro de rua. Tem muita dança e muito colorido. Nós testamos e misturamos várias linguagens, como o circo, commedia dell’arte e teatro popular”, conta Rogero, que credita ao tom bem-humorado do espetáculo a identificação imediata do público.

Desmistificado

Do estado da Bahia, chega o espetáculo que promete quebrar paradigmas. Exú, A Boca do Universo, do Núcleo Afrobrasileiro de Teatro de Alagoinhas – Nata, homenageia o orixá com uma montagem que mistura teatro, dança e música.

“Exú é um orixá de extrema beleza, mas toda a sua história ficou envolta num emaranhado de preconceito. Vamos tratar da vida dele de forma poética, mas sem ser panfletário. Nossa intenção é, antes de tudo, reverenciar essa cultura ancestral”, explica Fernanda Julia, diretora artística do grupo.

Exú é a terceira montagem de uma série que vai revelar para o público a face de 17 orixás das crenças afro. A última peça com essa temática, Ogum Deus e o Homem, rodou por diversas cidades do Brasil. “Se eu morrer ao final dos 17 espetáculos, estarei feliz”, avalia a diretora, que ressalta a importância do Palco Giratório na manutenção e divulgação do seu trabalho. “Nós, artistas negros, estamos fazendo a nossa parte, mas ainda são muito escassas as possibilidades de financiamento e de visibilidade”.

Estreia nacional na capital

Há 17 anos circulando pelo País, o Palco Giratório inicia sua 18ª edição em Brasília, no Sesc Ceilândia, com o espetáculo Proibido Elefantes, da companhia Gira Dança, do Rio Grande do Norte. É a primeira vez que o festival escolhe a capital para estrear sua temporada.

 

Nesta edição, a região Nordeste teve o maior número de grupos selecionados. O Circuito Especial do Palco Giratório, que homenageia  profissionais que contribuíram para o desenvolvimento das artes cênicas no Brasil, este ano presta tributo ao Balé Popular do Recife, fundado em 1976, pelo artista André Luiz Madureira e por Ariano Suassuna.

 

A programação completa do Palco Giratório pode ser conferida no site sesc.com.br/palcogiratorio/.

 

Programação

Hoje

Proibido Elefantes (RN) –  Às 20h30, no Teatro Newton Rossi (Sesc Ceilândia). Não recomendado para menores de 14 anos.

Amanhã

Plural (GO) –  A partir  16h, no Teatro Sesc Garagem (913 Sul).  Não recomendado para menores de 10 anos.

Exú, A Boca do  Universo (BA) –  A partir das  20h, no Teatro Paulo Autran (Sesc Taguatinga Norte).  Não recomendado para menores de 18 anos.

Sexta

Iara, O Encanto das Águas (DF) –  Às 16h30, no Teatro Sesc Garagem (913 Sul). Classificação livre.

Misanthrofreak (DF) –  Às 20h30, no Teatro Paulo Gracindo (Sesc Gama). Não recomendado para menores de 12 anos.

Sábado

O Auto da Compadecida (foto) (DF) –  Às 12h, na Feira da Torre de TV (Eixo Monumental). Classificação livre.

 

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

Extraído do site do Jornal de Brasília / Brasília-DF
http://www.jornaldebrasilia.com.br/viva/606929/cidade-recebe-espetaculos–gratuitos-de-todo-pais-ate-este-domingo/

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *