Breaking News

Buakamukua significa diferente

O livro destaca a contribuição dos povos africanos na formação da língua brasileira privilegiando as palavras Yorubanas e Kibumdu, que foram “abrasileiradas” no vocabulário português do Brasil. Os versos resgatam a reflexão sobre “ser humano” e ser “diferente” e é sob esta perspectiva que o livro da uma singela contribuição a implementação da lei 10.639/02 no âmbito educacional.

*Dayse Marcello*

*”A água sempre encontra um meio”. Provérbio Africano
*
*http://africabrasilidentidades.blogspot.com.br/*
*Consultora na elaboração e Gerenciamento de*
*Projetos Sócio-culturais e ambientais e SICONV

unnamed

 

banner_rede02

 

Visite Rede Afrobrasileira Sociocultural em: http://redeafrobrasileira.com.br/?xg_source=msg_mes_network

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *