Breaking News

Busca por ‘intolerância religiosa’ no Google aumenta 32%

julho 27, 2017

Houve um aumento de 32% na busca do Google por “intolerância religiosa” entre o dia 20 de julho de 2017 ao 26 do mesmo mês, em comparação com igual período anterior.

Por Estado, o maior interesse pelo termo ocorreu em Alagoas, seguido por Rio Grande do Norte, Paraíba, Bahia e Sergipe.

Os termos correlacionados mais consultados foram “intolerância religiosa no Brasil”, “caminhos para o combate à intolerância religiosa”, “Brasil plural para falar de intolerância” e “casos de intolerância religiosa”.

No período, uma das notícias mais acessadas foi a da advogada de Salvador que acusou o seu chefe de assédio moral por ela ser adepta da umbanda. 

Demitida, ela apresentou à Justiça áudio como prova da intolerância.

 

Proporcionalmente, busca 
foi maior em Alagoas

Com informação do Google

 

por Paulo Lopes

 

 

Extraído do blog do jornalista Paulo Lopes
http://www.paulopes.com.br/2017/07/busca-por-intolerancia-religiosa-no-google-cresce.html#.WX__yYjyvIU

 

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *