Breaking News

Búzios e tarô ajudam na busca pelo amor e procura cresce com o Dia dos Namorados

Pai de santo e tarólogas explicam que a maioria dos atendimentos tem relação com a vida amorosa. Homens e mulheres procuram os serviços em São Carlos e Araraquara.

 

 

Por Raquel Baes*, G1 São Carlos e Araraquara

12/06/2017 07h29  Atualizado há 12 horas

As leituras de búzios e cartas de tarô são hoje alternativas para homens e mulheres que buscam o grande amor. Em São Carlos e Araraquara (SP), um pai de santo e duas tarólogas sentem o aumento na procura pelos serviços com a chegada do Dia dos Namorados, celebrado nesta segunda-feira (12).

O pai de santo Fábio de Oxóssi faz leitura de búzios há 15 anos em um terreiro de candomblé em Araraquara. Ele conta que a busca pelo serviço aumenta 15% perto da data. Pelo menos 70% das consultas são sobre assuntos amorosos e 80% dos clientes são homens. Utilizado por religiões africanas, o jogo tem vários métodos, mas o mais comum é o arremesso de 16 búzios sobre uma mesa. O pai de santo interpreta a forma como eles caem.

“Todos procuram amar e ser amado, encontrar sua cara metade. As pessoas têm medo da solidão, o ser humano é carente. Elas tentam se preencher e querem relacionamentos estáveis. Quem está namorando quer noivar, quem está noivo quer casar, e quem já foi casado quer voltar com o antigo parceiro”, explicou Oxóssi.

Pai Fábio de Oxóssi joga búzios há 15 anos em Araraquara (Foto: Arquivo Pessoal)

Cartas de tarô

A taróloga Tatiane Santos, de 29 anos, trabalha com as cartas há 10 em São Carlos e Araraquara. Ela diz que a maioria dos clientes são mulheres, mas os homens também a procuram “escondidos”, e geralmente as dúvidas são relacionadas ao amor.

De origem francesa, o tarô é um jogo composto por um baralho de 78 cartas com figuras simbólicas que mostram passado, presente e futuro por meio da interpretação do tarólogo.

“Geralmente, as mulheres vêm porque já têm alguém na vida delas, mas querem ter certeza se vale a pena, se é a pessoa certa”, contou. “A pessoa pode estar na vida do cliente, sim, mas às vezes por outro propósito, não relacionado com o amor”.

Cartas de tarô são muito buscadas com o Dia dos Namorados (Foto: Reprodução/TV Grande Rio)

Amores Virtuais

Em São Carlos, a jornalista e taróloga Márcia Rodrigues, de 61 anos, usa a internet para facilitar o trabalho e conseguir mais clientes. Pelo programa de webrádio e o Facebook, ela atende de 80 a 100 pessoas por semana e apenas sete pessoalmente. Segundo ela, a principal dúvida é saber se o parceiro corresponde aos sentimentos.

Ela trabalha com o tarô há cerca de 30 anos e conta que as relações mudaram com o advento da internet, chats e aplicativos de namoro. “As pessoas se apaixonam virtualmente. Antigamente, as pessoas me procuravam porque estavam em relacionamentos estáveis. Agora, com a internet, as pessoas se conhecem por pouco tempo ou nem se conhecem e já querem saber: ‘Será que ele vem me ver? Será que ela gosta de mim?'”.

Márcia conta que as pessoas se apaixonam ‘virtualmente’ (Foto: Arquivo pessoal)

‘Psicólogos’

Fábio de Oxóssi afirmou que, muitas vezes, acaba atuando quase como um ‘psicólogo’ das pessoas que o procuram.

“Temos que entender a cabeça dos clientes. Às vezes, eles querem uma palavra amiga, conversar com alguém que não seja amigo ou familiar. Querendo ou não, o pai de santo é o psicólogo do pobre”.

A taróloga Tatiane pensa de forma parecida. “As pessoas se sentem sozinhas e a maioria vem porque não tem com quem conversar, falar as coisas íntimas, hoje em dia a confiança está morrendo. Eles sabem que aqui não terá julgamento”, afirmou.

Alerta para falsas promessas

O pai de santo e as tarólogas alertam para o risco de fraudes e falsas promessas de golpistas. “Não existe a palavra ‘abracadabra’ para você ter o amor. Você deve ser aberto para ele. Infelizmente, existe muita picaretagem por aí, as vezes os charlatões ficam extorquindo o cliente, iludindo ele”, disse Oxóssi, ressaltando que é importante consultar alguma federação de candomblé para saber se o profissional é confiável.

“O tarô dá uma direção para a pessoa, tudo que ele mostra pode ser mudado, está nas nossas mãos fazer nossa história. Esses tipos de anúncio ‘trago a pesssoa amada em três dias, amarração’, isso é tudo mentira”, destacou Tatiane.

*Sob a supervisão de Fernando Bertolini, do G1 São Carlos e Araraquara.

 

Extraído do portal de notícias G1 / Região de São Carlos e Araraquara – SP
http://g1.globo.com/sp/sao-carlos-regiao/noticia/buzios-e-taro-ajudam-na-busca-pelo-amor-e-procura-cresce-com-o-dia-dos-namorados.ghtml

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *