Breaking News

Cabrito sacrificado em cemitério intriga moradores no Oeste catarinense

  7 de janeiro de 2017   15935614_975931972550130_1477920486_n   Saudades – Os moradores do distrito do Juvêncio, às margens da BR 282 em Saudades, no Oeste catarinense, começaram o dia com uma surpresa. Agricultores se depararam com um cabrito morto e uma foto de uma casa cravada com uma faca no corpo do animal. Os moradores entraram em contato com a Polícia Militar na manhã deste sábado (07) e foram informados que a PM não poderia fazer nada a respeito. Moradores foram orientados a registrar boletim de ocorrência na delegacia de polícia. Alguns moradores também pretendiam acionar a prefeitura já que se trata de um cemitério municipal. O ato pode ser entendido como ameaça de morte com crime previsto no Código Penal. Alguns moradores acreditam que se trata de algum tipo de feitiçaria, bruxaria ou magia negra. Possível ameaça O feitiço, bruxaria ou “macumba”, como é popularmente conhecida no Brasil, quando usada para ameaçar alguém, trata-se de um delito de ameaça. O uso de qualquer meio simbólico para ameaçar alguém de um mal injusto e grave é prevista como crime no artigo 146 do Código Penal. Se a prática é feita com o objetivo de causar aflição ou angústia deliberadas, é caso de delito de tortura, previsto na Lei nº 9.455/1997. No geral, a prática não se caracteriza como crime. Mesmo não agradando a todos, não é passível de proibição devido ao princípio da liberdade religiosa, de consciência ou de crença, previsto no artigo 5º da Constituição Federal. Sobre o sacrifício de animais em cerimônias religiosas tem-se uma ampla e polêmica discussão entre os juristas e os casos normalmente terminam no STF, prevalecendo quase sempre os princípios ambientais e da vida animal sobre a liberdade religiosa. (Com informações de Roni Oliveira) 15935614_975931972550130_1477920486_n-150x150 15942093_975931975883463_1880445840_n-150x150 15910039_975931959216798_441807285_n-150x150             Extraído do site de notícias Michel Teixeira Notícias / Capínzal – SC http://www.michelteixeira.com.br/cabrito-sacrificado-em-cemiterio-intriga-moradores-no-oeste-catarinense/

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *