Breaking News

Câmeras flagram dupla ateando fogo à Casa do Mago, no Humaitá

Ubirajara Pinheiro, o Mago, estava sozinho no imóvel e acredita que ato foi motivado por intolerância religiosa: ‘Tentativa de homicídio’

 

POR / THALITA PESSOA

01/08/2017 16:20 / atualizado 01/08/2017 17:31

 

RIO – Câmeras flagraram a ação criminosa de dois homens que atearam fogo à Casa do Mago, conhecido centro espírita localizado no Humaitá, na Zona Sul do Rio, na noite desta segunda-feira. As imagens mostram a ação de um homem encapuzado, que esvazia um galão com líquido inflamável na frente do imóvel, por volta das 23h, seguido por um outro, de boné, que ateia o fogo e chega ser atingido pelas chamas. Ubirajara Pinheiro, conhecido como Mago, estava sozinho no imóvel na hora do atentado e, momentos antes, havia ido até o portão se despedir dos últimos consulentes do dia. As segundas-feiras são destinadas às consultas gratuitas para a ajuda espiritual.

As imagens recuperadas mostram que a dupla chegou ao endereço cerca de meia hora antes, em um carro de luxo, e estacionou a poucos metros do local. No entanto, os homens só deixaram o veículo após avistarem o Mago.

Frente do imóvel após o incêndio – Thalita Pessoa

Ubirajara Pinheiro, de 63 anos, preparava-se para dormir quando foi alertado por policiais militares do incêndio. Três carros dos Corpo de Bombeiros foram mobilizados para apagar as chamas e chegaram ao endereço em questão de minutos, evitando que o fogo se alastrasse pela residência, repletas de móveis e imagens de santos de madeira e outros materiais inflamáveis.

Assustado, Pinheiro não conseguiu dormir após o ocorrido. Ele aposta que o crime foi motivado por intolerância religiosa e chegou a ir à 10ª DP, em Botafogo, para prestar a queixa-crime. Mas não conseguiu fazer ao ser desaconselhado por uma delegada, que afirmou que o incidente não seria uma prioridade para as autoridades naquele instante.

– Não conheço esses homens, mas aposto que quem encomendou devia estar dentro do carro. Isso é obra de intolerância religiosa. Todo dia tem gente de igreja panfletando aqui na porta, falando que aqui é coisa do diabo. As pessoas têm mania de achar que o demônio tem tridente, é vermelho, essas coisas, mas o demônio está em nós. Quem colocou fogo aqui não foi o diabo, foram dois homens, auxiliados por mais um, no carro – conta o religioso, que trabalha no local há 15 anos, e acrescenta: – Foi tentativa de homicídio, sabiam que eu estava na casa.

Ubirajara Pinheiro, o Mago, mostra o rastro das chamas – Thalita Pessoa

Kelly Pinheiro, filha do religioso, chegou minutos depois ao fogo ser controlado e também se queixa da atenção dada na Delegacia.

– Falaram para a gente voltar no dia seguinte, levando provas, porque já não havia mais perigo, que isso era coisa de intolerância religiosa, uma “coisa que acontece”. Meu pai não conseguiu dormir a noite toda, ele tem 63 anos. Se o fogo se alastrasse aqui, meu pai não teria como sair e ainda atingiria os prédios vizinhos. Por muito pouco, como mostram as imagens, o fogo no portão não atingiu o carro aqui dentro. Se pegasse, imagina o tamanho da explosão e a extensão disso, porque estamos em meio a imóveis residenciais, com garagens. Ia ser algo muito, muito feio – queixa-se.

Agora, a partir das imagens coletadas, o Mago pretende abrir finalmente a queixa-crime na delegacia e contratar um perito particular capaz de identificar nas gravações a placa do carro que acompanhava os criminosos. Ele, que confessa não pretende voltar a dormir na Casa do Mago tão cedo, no entanto se nega a suspender as atividades do centro.

– Se eu suspender, vou estar recuando e eles vão ter conseguido o que queriam. Vai ser uma vitória para eles. Eu estou aqui há 15 anos, não temos problema nenhum com os vizinhos, é uma casa de acolhida, que ajuda as pessoas, onde falamos para todos eles para não procurar quem quer fazer o mal – relata o Mago.

As janelas, chamuscadas, depois de as chamas serem controladas: fogo não invadiu o lugar por pouco – Thalita Pessoa

Em 2015, o templo chegou a ser apedrejada por três homens com Bíblias nas mãos. O Mago lembra que na época chegou a se reunir com os agressores e os perdoou pelo ato. Dada a gravidade do novo atentado, ele afirma que o cenário de intolerância religiosa piorou muito.

– Eles tentaram colocar fogo pelas janelas, poderia ter incêndiado tudo aqui. E eles sabiam que eu estava dentro, porque me viram no portão. Na hora, eu nem me liguei de ver carro estacionado, mas os policiais relataram que ele já estava lá algum tempo – lembra ele.

Os advogados do Mago, Gracieli Guimarães e Leonardo de Faro apostam agora as fichas nas imagens registradas pelas câmeras para identificar os criminosos.

– Por meio delas, a gente consegue ver quem são os responsáveis. Queremos, através delas, recuperar a placa do carro e rastrear quem fez isso. Vamos levar isso às autoridades e também chamaremos um perito, para que não fiquemos a mercê da boa vontade dos policiais – justifica Faro.

Extraído do site do Jornal O Globo / Rio de Janeiro – RJ
https://oglobo.globo.com/rio/bairros/cameras-flagram-dupla-ateando-fogo-casa-do-mago-no-humaita-21655985#ixzz4pBjXHzL5 

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *