Breaking News

Cantigas de Exú

ÈSÙ

Laaróyè Èsù! (Nos dê entendimento sobre a vida, Exu)
Egba rà bó ago mojuba rà (Tenho fé e peço licença para louva-lo em minha casa)

Egba Kose (Tenho fé, amém.)

Egba rà bó ago mojuba rà (Tenho fé e peço licença para louva-lo em minha casa)

E mó dé ko e ko (Nossa casa está limpa. Proteja a nossa terra)

Egba rà bó ago mojuba rà (Tenho fé e peço licença para louva-lo em minha casa)

Lè gbálè èsù loná (Seu poder exu, limpa o caminho)

Egba rà um be be (Minha fé me alimenta, peço, peço)

Tiriri Lona (Tiriri – Valoroso / Lona – no caminho = Exu que no dá coisas no caminho)

Esú Tiriri
Egba rà um be be

Tiriri Lona

Èsù Tiriri

Elegbara (Bis) (Homem da rua)

Èsù Ajo (Exu da jornada)

A ma ma (Nós sempre, sempre)

Ke o Elegbara (Pedimos a ti Elegbara)

Èsù Ajo (Exu da jornada)

A ma ma

Ke o laaròyè (Clamamos que nos dê compreensão)

Èsù Soroke (Exu que fala alto)

O dara o dara (Ele é justo, ele é justo)

Ba bá ebó (Ajude-nos, acompanhe-nos)

Esú O (Ele é Exú)

Esú Olona (dono da estrada)

Mó forí Gbále (Limpe o que é ruim, varra)

Esú O

Gba rá Lò jí ki (Com minha fé lhe cumprimento)

Esú Lò bi wa (Exu venha até nós)

Ara e e (Faça-se presente)

So so Obé (Fala, fala na faca)

Odara kolobi ebó (Ele é justo e ensina-nos a renascer no ebó)

Laaròyé (Dê-nos compreensão)

Àgiri Esú ma na (Exu está presente no nascer da aurora)

Le lè àgiri (Ele tem força e poder na aurora)

Àjé ma na (Seu feitiço está presente)

Le lè àgiri (Força e poder na aurora)

Fí rò ófè na (Seu assobio é o primeiro a ser ouvido)

Fé na jò (Se manifeste)
Àgiri (na aurora)

Orisa pa ta (Orixá que nos acode mas pode nos matar)

Ago nilé (A humanidade em suas casas pedem auxílio)

Ago nilé mó forí gbále (Livre a humanidade do que é ruim, varra)

Gbà-là ló jù gbà-là (Salve-nos, busque a nossa salvação)

Ló jù gbà-là (Busque a nossa salvação)

Ará legbé (Fique por perto)

Ògó Rum Gò (Te louvamos com o tambor para que não se confunda)

Rum gò (O tambor é inconfundível)

Laaròyé (Dê-nos compreensão).

Ba pàdé olà na e (Esta oferenda servida em prato de barro é para que nos ajude e não nos castigue)

Mojúbà ójisè (Salve exu, o mensageiro)

Àwa se àwo (Alimente-se em nossa casa de santo)

Mojúbá ójisè (Salve exu, o mensageiro)

Elégbára Rewá (Elegbara é bonito)

Àwa se àwo (Alimente-se em nossa casa de santo)

A ji ki rè mi èsù (Nós te acordamos para lhe felicitar, meu exu)

Èsù ka bi, ka bí (Exú que nos acompanha desde o nascimento)

Elégbára Èsù (Elegbara exu que mora no caminho)

Osá rere rere (Nós lhe convidamos)

O ké Sá bára èsù (Nós te chamamos, bom amigo)

O Sá rere rere (Nós lhe convidamos)

Elégbára, elégbara èsù ará ye (Exu Elegbara, exu que mora no caminho)

Elégbára, elégbara èsù ará ye (Exu Elegbara, exu que mora no caminho)

O wá lè se ìlàjà ba àwo (Ele vem com seu poder nos ajudar a harmonizar)

Lè só ri am-nó ìlèkùn (Com seu poder tome conta da nossa entrada)

Èsù a jùmò ma ma ké o (Exu, nós sempre lhe chamamos)
O dara (Você é justo)

Laaróyè èsù (Dê-nos compreensão)

A jùmò ma ma ké o o (Nós sempre lhe chamamos)

O dara èsù àwo (Você é justo exu, nós te alimentamos)

O dara. Lò sóro (Ele é justo. Ouça sua voz)

O dara. Lò sóro loná ( Ele é justo. Ouça a sua voz durante a caminhada)

O di se bá lè pón a o o (Retorne para nos encontrar e nos fortalecer)

O dara. Bá lè só bá (Ele é justo. Ele toma conta e seu poder nos fortalece)

Kòna wù rè já rè o (Te agradamos na encruzilhada, levante-se)
Èsù loná (Exu da rua)

Ajé ba lè a ká ra wó (Este sangue de animal que será derramado aqui é para nos ajudar)

Èsù Soroke

Èsù sórò sórò (Exu, venha participar do culto)

Ajé ba lè a ká ra wó (Este sangue de animal que será derramado aqui é para nos ajudar)

Èsù só Soroke (Exu Soroke tome conta)

Elégbára lè ba àwo (Elegbára, seu poder nos ajuda)

Èsù só Soroke (Exu Soroke tome conta)

Èsù só Soroke ki awo (Exu Soroke tome conta. Nós te cumprimentamos)

Elégbára Vodun

Adja ke de ke de (Tocamos o adja bem alto para lhe chamar)

Èsù lè ba o (Exu, buscamos o seu poder)

Odún lè ba o (Está na hora de usar o seu poder)

A dí kí ba rà bò e mojúbà (Nós tornamos a lhe cumprimentar pela ajuda que recebemos)

Àwa kó jé (Nós somos aprendizes)

A dí kí ba rà bò e mojúbà (Nós tornamos a lhe cumprimentar pela ajuda que recebemos)
Òmowé kó ikó (Senhor, seja paciente em nos ensinar para que nos tornemos bons

Elégbára èsù loná trabalhadores)

Kó ké kó ké o ba rà (Cantamos alto, cantamos alto para que venha nos ajudar com os

trabalhos)

O ba rà ba ba ebo (Venha em nosso auxílio, venha, venha para o ebó)

Iná iná e mojúbà e (O fogo das velas é para te saudar)

E mojúbà (Nós te saudamos)

Ibó mojúbà (No seu altar te saudamos)

E ma wù lè ba na (Você sempre foi agradado primeiro que os outros)
Kórin ti a (Nós cantamos suas cantigas)

E ma wù lè ba na (Você sempre foi agradado primeiro que os outros)

E ma je kí (Nós sempre te alimentamos e cumprimentamos)

Kórin ti a (Nós cantamos suas cantigas)

O loná wa ba rà ketu (Vós que estais no caminho, venha para o Ketu)

O loná wa ba rà ketu (Vós que estais no caminho, venha para o Ketu)

Ketu ketu e (Vós que estais no Ketu, ketu)

Èsù alaketu (Exu, este é o reino de Ketu)
Yemonjá ka ká rè bo (Yemonjá recolhe e alimenta a todos em seu reino)

Èsù ayà abo (Exu também encontra amparo)

Yemonjá ka ká rè bo (Yemonjá recolhe e alimenta a todos em seu reino)

Èsù ayà abo (Exu também encontra amparo)

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *