Breaking News

Centro de umbanda promove protesto contra intolerância religiosa em Londrina

Pauline Almeida | 02/10/2014 às 11:09    –    Atualizado em 02/10/2014 às 15:02

 

Um protesto contra a intolerância religiosa será realizado a partir das 11h desta sexta-feira (3), em frente ao Fórum de Londrina. Membros do Centro de Umbanda Cachoeirinha de Xangô esperam mais de cem pessoas para a manifestação e a mãe Claudia Ikandayô deve se acorrentar para pedir ao Judiciário direito de liberdade de culto.

A mobilização foi marcada, pois nesta sexta-feira haverá uma audiência de julgamento de um processo criminal que tem a dirigente do centro como réu. Uma vizinha do templo foi à Justiça para reclamar de perturbação de sossego durante os horários do culto de louvor, em que atabaques são tocados das 20h às 22h.

Um evento inclusive foi criado na rede social Facebook para mobilizar a comunidade londrinense e 153 presenças haviam sido confirmadas até as 11h desta quinta-feira (2). Os organizadores pedem que as pessoas compareçam de branco para um louvor aos guias espirituais durante a mobilização.

 

Divulgação Centro pede respeito à tradição religiosa
Divulgação
Centro pede respeito à tradição religiosa

As mães que coordenam o centro, Claudia Ikandayô e Bete Obaloby, acreditam que o acionamento judicial não foi motivado pelo incômodo com o barulho, mas pela intolerância religiosa da vizinha, por isso marcaram o protesto antes da audiência.

“Estamos voltando a época de negros em senzalas, em que tínhamos que ir para o meio da mata tocar nossos tambores e cultuar nossos orixás. Estamos cansados de ser massacrados e demonizados”, desabafou Claudia.

O centro funciona há dez anos na Rua Humberto Piccini, na Vila Guarujá, região central de Londrina.

 

Cultura afro

A cultura negra vem sofrendo com embates em Londrina. As entidades comerciais obtiveram na Justiça o direito de barrar o feriado da Consciência Negra em 2013. Ainda no ano passado, uma líder do movimento negro, Vilma dos Santos, a Ya Mukumbi, morreu esfaqueada por um vizinho que supostamente sofreu um surto. Sua mãe e neta também foram assassinadas na tragédia, que chocou Londrina.

 

 

Extraído do site do jornal web O Diario.com

http://londrina.odiario.com/londrina/noticia/1204584/centro-de-umbanda-promove-protesto-contra-interolerancia-religiosa-em-londrina/

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *