Breaking News

Centro espírita é alvo de pichação em São Gonçalo

Enviado por: Rennan Rebello24/10/2016 às 12:23h

Centro está instalado há apenas cinco dias no J. Bom Retiro Foto: Divulgação
Centro está instalado há apenas cinco dias no J. Bom Retiro
Foto: Divulgação

Há menos de uma semana instalado na Rua Cardeal Saraiva, em Jardim Bom Retiro, São Gonçalo, o Centro Espírita Pai Mané de Angola já é alvo de intolerância religiosa. Na madrugada de sábado, o portão de acesso ao local foi pichado com a frase “Aqui não queremos macumba”. Na via, há outro centro espírita, no qual uma jovem frequentadora também sofreu o mesmo tipo de problema há cerca de dois meses e que foi noticiado por O SÃO GONÇALO.

O pai de santo responsável pelo Centro Pai Mané de Angola, que preferiu não revelar sua identidade por questão de segurança pessoal, não tem dúvidas de que o ato foi uma forma de intimidação de pessoas preconceituosas.

“Encaro isso apenas como intolerância religiosa, pois estamos aqui há apenas cinco dias. Ainda estamos fazendo nossa mudança mas não vamos sair por conta disso. Nossa religião ainda sofre muito com a intolerância, com o desrespeito, porém não vão nos atingir”, afirmou o umbandista informando ainda que um galão que servia como caixa d’água foi roubado pelos pichadores.

O pai de santo revelou também que vai registrar o caso na delegacia. “Eu estava receoso porém não podemos deixar isso passar impunemente”, disse.

Recordando – Em setembro, a vendedora e candomblecista Fabiana Figueiredo de Souza, de 23 anos, foi proibida de seguir viagem no ônibus da Viação Tanguá, que faz a linha 39 (Marambaia-Coroado).

Vestida com roupas típicas da religião, predominantemente branca, a jovem disse ter sido chamada de “macumbeira” pelo motorista.

 

 

Extraído do site do Jornal O São Gonçalo / São Gonçalo – RJ
http://www.osaogoncalo.com.br/policia/19141/centro-espirita-e-alvo-de-pichacao-em-sao-goncalo

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *