Breaking News

Centro espírita é depredado em Teresópolis e mãe de santo acredita em intolerância: ‘Foi criminoso’

 

Publicado em 04/11/16 17:18 Atualizado em 04/11/16 17:53

 

Terreiro Casa de Oxossi Foto: Divulgação
Terreiro Casa de Oxossi Foto: Divulgação

Thaís Sousa

 

O terreiro de candomblé Casa de Oxossi, localizado na Estrada Rio Bahia, em Teresópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, foi alvo de um ataque na madrugada desta sexta-feira. O local foi depredado e incendiado. Dirigentes acreditam que o crime tenha sido motivado por intolerância religiosa.

A mãe de santo Luiza Helena Medeiros, conhecida como Mãe Luiza de Oba, conta que recebeu a notícia sobre o incidente logo pela manhã, através de uma frequentadora do centro espírita.

— Eu fiquei sabendo através de uma filha, que recebeu uma mensagem pelo WhatsApp avisando sobre um barracão destruído na Rio-Bahia. Ela me falou que havia passado por lá e não havia visto nada. Porque a frente não foi danificada. Quando eu cheguei, vi o portão sem cadeado e a vizinha me avisou. Ela que havia chamado os bombeiros por volta de 5h — relatou a mãe de santo.

Janelas quebradas na Casa de Oxossi Foto: Divulgação
Janelas quebradas na Casa de Oxossi Foto: Divulgação

Ao entrar no terreiro, ela encontrou o imóvel muito destruído, com imagens e vidros quebrados e completamente revirado. Alguns itens também haviam desaparecido.

— Quebraram imagens e todos os vidros de todas as janelas. Roubaram coisas, comida, fizeram tudo. Foi um ato criminoso. Eu estou muito abalada — desabafou a religiosa.

Objetos foram queimados Foto: Divulgação
Objetos foram queimados Foto: Divulgação

Apesar de não terem ideia de quem possa ter cometido o crime, os dirigentes da Casa de Oxossi acreditam se tratar de um caso de intolerância regiliosa. O centro espírita nunca sofreu nenhuma ameaça do tipo, mas outros terreiros já foram atacados.

— Foi crime de intolerância, uma coisa que não podemos permitir. Estou agora com outro pai de santo e vamos, no dia 20, fazer uma passeata, porque outros terreiros já passaram por isso. Não podemos continuar assim.

O caso foi registrado na 110ª DP (Alto), em Teresópolis.

img_1003

Extraído do site do Jornal Extra on line / Rio de Janeiro – RJ
http://extra.globo.com/casos-de-policia/centro-espirita-depredado-em-teresopolis-mae-de-santo-acredita-em-intolerancia-foi-criminoso-20413210.html#ixzz4P6LtbbEk