Breaking News

Cia. Tempo de Brincar lança CD ‘Ciranda dos orixás’

 

26/04/17 | Felipe Shikama – felipe.shikama@jcruzeiro.com.br

 

 

As músicas do álbum serão entrecortadas por passagens teatralizadas com bonecos – SANDRO COSTA / DIVULGAÇÃO

Fluentes na linguagem dos afetos, o músico e compositor Valter Silva e a artista visual e atriz Elaine Buzato, da Cia. Tempo de Brincar, colocam a poesia e a beleza da cultura afro-brasileira para dançarem de mãos dadas no CD Ciranda dos orixás, que terá show de lançamento amanhã, às 20h, no Teatro Municipal Teotônio Vilela. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) e podem ser adquiridos antecipadamente na Livraria do Elefante (rua Arthur Gomes, 89, Centro) — pagamento só em dinheiro.

Produzido de maneira independente, o disco reúne 12 canções autorais inspiradas no rico universo das culturas de matrizes africanas. O disco estará à venda amanhã a R$ 25 e posteriormente poderá ser adquirido na Livraria do Elefante ou encomendado pelo site www.tempodebrincar.com.br.

Resultado de uma pesquisa sobre o Candomblé e ritmos afrobrasileiros que vem sendo desenvolvida por Valter desde a década 1990, quando participou como ogã (tocador de atabaque) de um terreiro de São Paulo, o disco é voltado ao público infantil e se ancora na mitologia dos orixás a fim de celebrar o respeito pela natureza e pela ancestralidade. “Decidimos lançar o disco agora, em tempos que clamam por respeito e tolerância. A gente sente que há uma necessidade imediata de falar sobre isso e, através da arte, a gente encontra uma potência maior na poesia”, comenta Elaine.

Segundo Valter, embora as músicas estabelecem relações dos orixás — representações de divindades das religiões de matriz africana — com elementos da natureza, como Xangô e os raios, Iansã e as chuvas e tempestades, Oxumarê e o arco-íris, o quinto álbum da companhia não tem qualquer caráter de doutrinação religiosa. “Estamos falando de cultura, de influência e de diversidade desse universo mítico e simbólico que também é o universo da linguagem da infância”, destaca o músico. “A gente está falando dos orixás como mitos e o mito é universal. Por que a gente estuda mitologia grega na escola e não conhece a mitologia dos povos que ajudaram a construir a cultura brasileira?”, complementa Elaine.

Aliás, com o objetivo de fazer com que o disco seja trabalhado em sala de aula, como prevê a lei federal 10.639, que inclui no currículo escolar o ensino de história e cultura afro-brasileira, a companhia colocou em seu site um material de apoio pedagógico que conta com glossário de expressões iorubá, biografia de artistas homenageados e links com livros e filmes sobre o assunto.

Com arranjos de percussão assinados pelo músico e pesquisador Barba Marques, o álbum traz uma variedade de ritmos como ijexá, aguerê, vaci, jongo, samba de roda, batuque de umbigada, ciranda, tambu, maxixe, boi e toada. “É um verdadeiro caldeirão de ritmos”, define Valter.

O disco teve participações dos músicos Júlio Paz (piano), Zeca Collares (viola caipira), Diego Garbin (clarinete), Marcel Bottaro (contrabaixo acústico), Bruno Pereira (trombone), Luiz Antony ( violoncelo e rabeca), Marco Correa (percussão) e Alexander Souza (saxofone e flauta). A gravação também tem coro infantil, formado por Beatriz Buzato, Maria Clara Leite, Sofia Moris, Maria Luiza, Júlia Paz; e coro adulto, composto por Neide Buzato, Elaine Buzato, José Simonetti, Valter Silva e Júlio Paz.

No espetáculo de amanhã, as músicas do álbum serão entrecortadas por passagens teatralizadas com bonecos e contará com participação especial da bailarina de dança afro Jéssica Moraes. Na ocasião, Valter Silva (voz, violão e viola caipira) e Elaine Buzato (flauta transversal e pífanos) dividirão o palco com uma banda formada pelos percussionistas Barba Marques e Marco Corrêa, o saxofonista Alexander Souza e as cantoras Beatriz Buzato e Maria Clara Leite. “É um time um pouco mais enxuto que no disco, mas a sonoridade será muito parecida”, garante Valter.

 

Extraído do site do Jornal Cruzeiro do Sul / Sorocaba e região – SP
http://www.jornalcruzeiro.com.br/materia/782299/cia-tempo-de-brincar-lanca-amanha-o-cd-ciranda-dos-orixas-show-ocorre-no-teatro-municipal

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *