Breaking News

Com ‘olhar de fora’, documentário inédito Bodas de Aruanda apresenta Centro Espírita de JP

01/04/2014 | 16h55min

 

1396382240951-cineportO filme ‘Bodas de Aruanda’, do diretor Chico Sales, faz sua estreia no dia 12 de abril, durante o Festival Cineport. O documentário conta a trajetória do Centro Espírita de Umbanda Pai Tertuliano que completou 50 anos em 2013. O título se refere a um reino encantado onde, segundo a Umbanda, habitam os espíritos que participam dos trabalhos desses centros espíritas. O filme conta, através do olhar do visitante, um pouco da história e dos costumes religiosos do Centro Espírita fundado em 04 de agosto de 1963, em João Pessoa.

Sales, que frequenta o Centro desde 2006, teve a ideia de fazer o filme quando uma vez olhava para a fachada e se apercebeu que a Casa completaria 50 anos. “A partir disso procurei permissão da direção e comecei a filmar”, conta.

Um dos cuidados no filme era a privacidade dos praticantes. “No Centro tem uma parte que separa os visitantes da parte da Casa onde ficam os médios. A câmera jamais passa esse limite. Tudo é feito a partir do olhar do visitante que entende as coisas a distância mesmo. Ainda que tenha os depoimentos. O olhar do filme é sempre de fora”, revela.

“No filme os rostos das pessoas aparecem muito pouco. A não ser as pessoas que se dispuseram a falar, como a Mãe Maria – dirigente da Casa – pessoas que vivem aquilo. Além dela, as pessoas chaves que vão dar depoimento também ficam mais evidentes. Mas os depoimentos de alguns visitantes, aparecem tudo em off, só o áudio”, frisa.

O realizador explica que ele tentou manter a sensação de anonimato que teve na primeira vez que foi ao Centro quando entrou e saiu anônimo, sem que ninguém sequer lhe perguntasse seu nome.

Além da história do Centro Espírita, o documentário também procura pontuar de forma didática como é feito o trabalho. “Eu quis explicar às pessoas o que é a Umbanda, como funciona essa história do trabalho espiritual, como funciona a caridade, que é uma coisa bem Kardecista. E também falar um pouco dessa relação afetiva, das pessoas que frequentam o lugar, tem uma relação de empatia que transcende a mera vida cotidiana. As pessoas se relacionam de uma forma muito afetiva com o espaço”, finaliza.

O filme de 26 minutos irá ser exibido na véspera do encerramento do Festival (dia 12), às 20h45, na Tenda Andorinha.

Assessoria

 

Extraído do Portal paraiba.com.br

http://www.paraiba.com.br/2014/04/01/18488-com-olhar-de-fora-documentario-inedito-bodas-de-aruanda-apresenta-centro-espirita-de-jp

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *