Breaking News

Comunidades de Matriz Africana ganham incentivo para bordados

Com os novos equipamentos será possível expandir a produção local.

Autor: Mariana Viana

20/07/2017 – 09:34

O Projeto Sustentabilidade de Comunidade de Matriz Africana entregou, ontem (19), cinco kits de máquinas de costura as representantes de terreiros de Teresina. Com os novos equipamentos, elas poderão montar um ateliê e expandir a produção e mercado local de vestimentas típicas da Umbanda e Candomblé. No total, o projeto beneficiará 20 comunidades. As 15 restantes receberão as máquinas posteriormente.

Foto/Francisco Gilásio

De acordo com Eufrazina de Iansã, integrante da Tenda de Umbanda Santa Bárbara, localizada na zona Sul de Teresina, a indumentária completa – composta por oito peças – chega a custar R$ 3 mil em lojas especializadas. “Com a nossa produção, esse valor deverá ser reduzido pela metade. Além disso, o bordado richelieu, o que nós usamos na confecção de nossas roupas, também é bastante utilizado em enxovais de noivas, de recém-nascidos, acessórios para casa, etc”, explica.

Eufrazina de Iansã acrescenta que a Tenda Santa Bárbara fica localizada em um lugar bastante carente, que necessita desse tipo de incentivo, principalmente por ser um gerador de emprego e renda. “O local onde será instalado o ateliê já está todo preparado, com todas as instalações elétricas necessárias. Basta agora apenas o curso de preparação das pessoas que irão trabalhar”, diz.

Foto/Francisco Gilásio

O convênio para implantação do projeto foi celebrado por meio da Secretaria Municipal de Economia Solidária (Semest) e a Fundação Wall Ferraz, realizado entre o município e a Fundação Banco do Brasil. Desse modo, os cursos profissionalizantes das pessoas que irão trabalha nos ateliês ficarão a cargo da Fundação Wall Ferraz. Segundo o secretário Ricardo Bandeira, da Secretaria Municipal de Economia Solidária de Teresina (Semest), a iniciativa vai beneficiar diretamente cerca de 200 pessoas das comunidades integrantes do projeto.

Nessa primeira fase de entrega dos equipamentos, receberão as máquinas:  Tenda Espírita de Umbanda Pai Joaquim D’angola, representada pelo Pai Willame de Ogum; Ilê Oya Tadê, na pessoa do Pai Adilton; Tenda São Francisco das Chagas, da Mãe Fátima de Oxossi; Tabernáculo de Iansã, representada pela Mãe Rutinéia e a Tenda Espírita de Umbanda Santa Bárbara, da Mãe Eufrazina.

Foto/Francisco Gilásio

Extraído do site Capital Teresina / PI
http://www.capitalteresina.com.br/noticias/carreira-negocios/comunidades-de-matriz-africana-ganham-incentivo-para-bordados-52630.html

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *