Breaking News

Conselho de Ministros Evangélicos entra na Justiça contra Peça Porno Gospel

Postado Em 02/06/2016 por Redação do Paranashop

efb1fd32-4ae7-4b3a-abd1-0ba75df61c34 (1)O Conselho de Ministros Evangélicos do Paraná (Comep) ajuizou na tarde desta quinta-feira (2) uma Ação Civil Pública por ofensa a dignidade religiosa contra os representantes da Peça Teatral Porno Gospel, em cartaz no mini auditório do Teatro Guaíra, em Curitiba. A ação é baseada na Lei 7.347, que prevê punição a ofensa a dignidade da honra de grupos religiosos e pede a suspensão da apresentação da peça teatral para que cesse a ofensa aos grupos religiosos cristãos da cidade. O tema causou revolta e protestos nas redes sociais e mobilização por meio de abaixo-assinados por parte de cristãos que se sentiram ofendidos com o título da peça.

Para o advogado do Comep, Pedro Farah, o Brasil é um Estado Laico, mas o direito à liberdade religiosa é uma garantia fundamental prevista pela Constituição. “A liberdade de expressão nesta peça foi extrapolada e fere a liberdade religiosa de um grupo”, disse Farah. A ação foi ajuizada na 24ª Vara Cívil de Curitiba.

A polêmica começou quando o Pastor André Belarmino, da Igreja com Propósitos de Curitiba foi assistir um stand up no teatro Guaíra na semana passada e se sentiu ofendido com a publicidade da peça que em sua sinopse fala sobre o partido Holly Hola Cristy. “Como cristão, me senti ferido ao ver um dos símbolos do cristianismo, o peixe, de cabeça para baixo e o termo gospel relacionado com pornografia”, disse Belarmino. Assim como ele, outras mil pessoas assinaram um abaixo-assinado endereçado ao Ministério Público do Paraná solicitando a retirada da Peça de cartaz.

Ainda esta semana a bancada Evangélica da Câmara de Vereadores de Curitiba fez uma Moção de Repúdio a Peça. Os deputados estaduais evangélicos também fizeram a mesma moção. Na Assembleia Legislativa, o líder do governo pediu para que a Moção seja votada na segunda-feira, para pedido de explicações a Secretaria Estadual de Cultura. Já na Câmara, a Moção não foi votada por falta de tempo e também deverá entrar em pauta na segunda-feira.

Para o diretor do Comep, pastor Thiago Ferro, a associação do termo Gospel, que se refere as boas novas do Evangelho, com pornografia ofende a honra daqueles que professam sua fé ao evangelho. “A peça ultrapassa o limite da liberdade de expressão e vai para libertinagem. É agressiva em alguns termos que são santos para nós cristãos. E traz uma divisão desnecessária neste momento político tão delicado que vive o país. No momento em que a comunidade cristã brasileira tem trabalhado pelo fortalecimento da nossa nação, gostaríamos que os artistas e humoristas desta peça também fizessem o mesmo ao invés de desagregar como eles tem feito com esta peça teatral”, disse Thiago Ferro. <alelemos.sermidia@yahoo.com.br>

 

 

Extraído do blog de notícias Paranashop / Curitiba – PR
http://paranashop.com.br/2016/06/conselho-de-ministros-evangelicos-entra-na-justica-contra-peca-porno-gospel.html

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *