Breaking News

Cordelândia apresenta Minha Pequena África para crianças

De maneira leve e divertida, a banda infantil mostra as influências da cultura africana em nossas vidas

Por: em 10/11/16 às 14H50, atualizado em 10/11/16 às 14H58

Banda CordelândiaFoto: Jonas Araujo/Divulgação
Banda CordelândiaFoto: Jonas Araujo/Divulgação

A Banda infantil Cordelândia está com um novo espetáculo circulando pela cidade: “Minha Pequena África”, que apresenta influência da cultura de matriz africana sobre nós.

Leve e lúdico, o espetáculo é autoral, da Cordelândia, e mostra o legado africano através da música afro-brasileira, contos, lendas e cordéis. Agora em novembro, o Minha Pequena Africa será apresentado no Paço do Frevo, nA Casa do Cachorro Preto e no Centro Cultural Grupo Bongar – Nação Xambá.

Quantos de nós já chegamos a pensar que a África era apenas um país? Quantos de nós concebemos uma África povoada apenas por tribos e repleta de histórias tristes? A verdade é que sabemos muito pouco ou quase nada deste continente lindo e cheio de histórias incríveis. Histórias que narram a vida, o pensamento e que nos brindam com mitos que nunca imaginamos existir. Para comemorar este lugar abençoado, raro e belo, nasceu o “Minha Pequena África”. O espetáculo foi feito para toda a família. A realização é da Banda Cordelândia e do AfroKoletivo.

Em novembro, o espetáculo será apresentado no Paço do Frevo (Bairro do Recife), no dia 13/11 (domingo), às 16h; nA Casa do Cachorro Preto (Olinda), no dia 20/11 (Domingo – Dia Nacional da Consciência Negra), às 16h; e no Centro Cultural Grupo Bongar – Nação Xambá (Olinda), no dia 27/11 (domingo), às 16h.

Criado e desenvolvido pela musicista Camila Ribeiro e pelo produtor e educador social Danilo Carias, o “Minha Pequena África” tem como uma de suas propostas suprir as necessidades referentes à Lei no 9.394, que inclui no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”. Assim, durante uma hora de duração, o espetáculo apresenta o Brasil que herdou da Mãe África uma infinidade de costumes, sons, palavras, comidas, danças, instrumentos, religiões que necessitam ser difundidos para permanecerem vivos.

De forma leve, lúdica e educativa, o legado africano é apresentado no “Minha Pequena África” pela Banda Cordelândia, que é formada pelas musicistas Camila Ribeiro, Joannah Luna, Susana Morais e Viviane Oliveira. A música afro-brasileira, os contos, as lendas e os cordéis convidam a família a descobrir um novo jeito de interagir com a nossa ancestralidade. Todo o repertório musical e de contação de histórias foi criado especialmente para o espetáculo.

Assim, o espetáculo traz como pressuposto temas como o preconceito, a intolerância religiosa e as diversas formas de exclusão social, que no espetáculo ganham uma reflexão leve e propositiva. Com isso, o “Minha Pequena África” evidencia a cultura afro como constituinte e formadora do patrimônio cultural brasileiro, onde os negros são considerados sujeitos históricos de extrema relevância na construção do país.

Sob a direção musical e arranjos de Camila Ribeiro as músicas são executadas por Rafael Peixoto e Viviane Oliveira na percussão, Toinho Japa no contrabaixo e Kassio Farias na bateria. A contação de histórias fica a cargo da cordelista Susana Morais e de Joannah Luna, que também é a cantora do espetáculo. A consultoria pedagógica é de Luciene Ciciliani. Coreografia de Anderson Nogueira. A produção executiva é da Criativo Soluções e Produção Cultural. A Produção comercial é da ZaraTempo Produções.

O projeto “Minha Pequena África” foi contemplado no Edital de Bolsa de Fomento aos Artistas e Produtores Negros da Fundação Nacional de Artes (Funarte) 2014. A classificação etária é livre.

Serviço:
“Minha Pequena África” – Espetáculo da Banda Cordelândia
Agenda de Novembro

Quando: 13/11 (domingo), às 16h
Onde: Paço do Frevo (Praça do Arsenal da Marinha, s/n, Bairro do Recife)
Entrada: dentro da programação do local

Quando: 20/11 (Domingo – Dia Nacional da Consciência Negra), às 16h
Onde: A Casa do Cachorro Preto (Rua Treze de Maio, 99, Cidade Alta, Olinda)
Entrada: gratuita

Quando: 27/11 (domingo), às 16h
Onde: Centro Cultural Grupo Bongar – Nação Xambá (Rua Severina Paraíso da Silva, 65, Portão do Gelo, Olinda)
Entrada: gratuita

Ficha Técnica | “Minha Pequena África”

Classificação etária | Livre
Duração | 60 minutos
Concepção | Camila Ribeiro e Danilo Carias
Direção Musical | Camila Ribeiro
Direção de Cena | Danilo Carias
Músicos Convidados | Rafael Peixoto (Percussão), Viviane Oliveira (Percussão), Toinho Japa (Contrabaixo) e Kassio Farias (Bateria)
Cordelista e Contadora de Histórias | Susana Morais
Cantora e Contadora de Histórias | Joannah Flor
Coreógrafo e Bailarino | Anderson Nogueira
Coordenadora de Pesquisa e Apoio Pedagógico | Luciene Ciciliani
Cenário | Leo Luna
Figurino | Joannah Flor, Anderson Nogueira, Joana Lima
Design | João Paulo Monteiro
Assessoria de Comunicação | Feed Comunicação
Produção Executiva| Criativo Soluções e Produção Cultural
Produção Comercial | ZaraTempo Produções
Redes Sociais | facebook.com/minhapequenaafrica |instagram.com/minhapequenaafrica

 

 

 

Extraído do blog Matraquinha do site de notícias folhape / Recife – PE
http://www.folhape.com.br/diversao/diversao/blog-matraquinha/2016/11/10/BLG,906,71,546,DIVERSAO,2479-CORDELANDIA-APRESENTA-MINHA-PEQUENA-AFRICA-PARA-CRIANCAS.aspx

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *