Breaking News

Da Bahia para o Brasil -“Mãe Ilza Mukalê: Histórias e Saberes”

Por Redação – 1 de abril de 2016

capa-cartilha-Mae-Ilza-recortada

 

Na próxima segunda-feira (04/04), às 16h, o Campus da UFF, do Gragoatá, em Niterói vai receber o lançamento da cartilha, “Mãe Ilza Mukalê: Histórias e Saberes”, de Ana Claudia Cruz da Silva, Drª em Antropologia e professora do Departamento de Antropologia da UFF. Para interagir com os convidados, o ilustre Marinho Rodrigues, idealizador e coordenador do Projeto Mãe Ilza e Tata Kambondo do Terreiro de Matamba Tombenci Net, estará presente no evento. Marinho é também cantor, compositor, percussionista e uma das mais destacadas lideranças do movimento afro-cultural de Ilhéus.

A cartilha é voltada para a educação básica. É uma apresentação da Mãe Ilza Mukalê e o Terreiro de Matamba Tombenci Neto, de Ilhéus/BA. Ela é resultado do Projeto Mãe Ilza, cujo objetivo foi passar um pouco do conhecimento desta importante liderança religiosa para as novas gerações da região e a partir de rodas de conversa sobre a história do Terreiro e de sua própria história; dos mitos dos orixás; da culinária, das plantas, da vestimenta e dos adereços utilizados no candomblé angola; dos antigos e dos novos carnavais; da música, das danças e dos ritmos presentes nas festas do candomblé e que inspiram os afoxés, os blocos afro, os balés afro e tantas manifestações ar­tísticas e culturais que também são movimentos negros.

 

Marinho Rodrigues Foto: Divulgação/Rota Comunicação)
Marinho Rodrigues Foto: Divulgação/Rota Comunicação)

O projeto foi pensado para contribuir, com conteúdo, para a aplicação das Leis 10.639/03 e 11.645/08, que visam incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática  de “Histórias e Culturas Afro-Brasileira e Indígenas”. Parte dos exemplares foi doada para escolas públicas e bibliotecas do Sul da Bahia, possibilitando o acesso às informações compartilhadas por Mãe Ilza, referência do Candomblé Angola-Congo na região. O projeto foi uma iniciativa da Organização Gongombira de Cultura e Cidadania e da Rede Matamba Tombenci Neto e foi contemplado pelo Edital nº 07 / 2012 – Culturas Identitárias – da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. Vale a pena conferir!

Para mais informações, acesse: www.matambatombencineto.blogspot.com e  www.maeilzamukale.blogspot.com

Serviço:
Data: 04/04
Horário: 16h
Local: UFF Gragoatá
End:. São Domingos – Niterói – no Bloco O, sala 516.
Entrada: Franca

Extraído do blog sobre entretenimento cultural Sopa Cultural / Rio de Janeiro – RJ
http://www.sopacultural.com/da-bahia-para-o-brasil-mae-ilza-mukale-historias-e-saberes/

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *