Breaking News

Deixe seu lar com as cores de 2015 segundo os orixás do ano

Veja quais são as apostas para decorar a casa na virada do dia 31

  0018e1fd-1132x751   Postado por Redação Casa&Cia 29-12-2014 às 12h00 Está chegando o novo ano. A mesa da ceia do réveillon pede um tratamento diferente dos outros 364 dias do calendário. É a oportunidade de caprichar na decoração da casa para a virada da meia-noite. Não sabe por onde começar? O Diário conversou com Clóvis Alberto Oliveira de Souza, conselheiro-geral do Conselho Estadual da Umbanda e dos Cultos Afro-Brasileiros do Rio Grande do Sul (Ceucab-RS) para descobrir quais são as cores regentes de 2015 e como utilizá-las para montar uma mesa especial. 0004fa8e    

Coloque frutas como laranja e folhas de espada-de-são-jorge para o arranjo de mesa

Antes de mais nada, é preciso saber que o ano será regido por dois orixás, Ogum e Iansã. Ogum é representado pelo verde com vermelho, já a segunda tem vermelho e branco como tons. Casualmente estas três citadas são as cores natalinas, então você vai poder aproveitar bastante os enfeites de Natal para seguir com a casa decorada já na vibração do ano que vem. A ideia inicial proposta por Clóvis é usar juta como toalha da mesa, já que este era o tecido indicado para Xapanã (também conhecido como Obaluaê), que estava regendo 2014. - É uma forma de dizer adeus ao que passou e recepcionar o futuro que vem aí – incentiva Clóvis, que também sugere o uso de  algodão cru ou cânhamo, tecidos mais rústicos, na falta da juta.   000a70f8

Tecidos rústicos como juta podem servir como toalha de mesa

Copos com água, líquido que é um pararraio energético, podem estar dispostos sobre a mesa. Algumas taças de cristal, de prata ou de estanho, que é formado pela fusão de metais, também são indicadas. Importante é ter itens de metal (prato ou aço inoxidável) no lugar da janta, pois simbolizam os metais consagrados para fazer as espadas de Ogum e Iansã. Objetos em madeira são bem-vindos, especialmente se for uma gamela em forma quadrada, algo sagrado para Iansã. Na falta deste acessório, outras travessas podem ser usadas na mesa para substitui-la. Esteira, que era o colchão onde Iansã dormia, pode fazer bonito como sousplat (por baixo dos pratos onde as pessoas vão jantar) ou jogo americano, em qualquer cor ou formato. O relho trançado, uma tradição típica gaúcha, está em sintonia tanto com Ogum quanto com Iansã e pode ser usado como aparador em volta da mesa ou pendurado em algum lugar de destaque na casa. 0018e1fd  

Jogos americanos de esteira ou com bambu vão bem na mesa da virada (a cor vermelha é forte para 2015)

Também para decoração, vale a pena ter pipoca disposta no local da festa: ela simboliza clareza. Além disso, dá um ar de festa devido ao “espocar” do milho, equivalente ao estouro dos fogos de artíficio. Um arranjo de rosas vermelhas, mesmo que simples, fará bonito na decoração, bem como maçãs vermelhas soltas pela mesa (oferecimento para Iansã) e laranjas (para Ogum). O vaso de flores poderá ter folhas soltas de espada-de-são-jorge para ficar em sintonia com os orixás de 2015, ambos com o perfil “de guerra”. - Ogum é o orixá operoso, que protege o trabalho, e Iansã é a negociadora por excelência. Teremos um ano forte vindo aí – finaliza Clóvis.   Extraído do site Casa & Cia. http://casaecia.clicrbs.com.br/artesanato-2/deixe-seu-lar-com-as-cores-de-2015-segundo-os-orixas-do-ano/

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *