Breaking News

DELEGAÇÃO DE INTELECTUAIS AFRO-BRASILEIROS CONFERÊNCIA MUNDIAL DAS HUMANIDADES: DESAFIOS E RESPONSABILIDADES  PARA O PLANETA EM TRANSIÇÃO. 

Liderada pelo Babalawô Ivanir dos Santos, uma delegação de intelectuais afro-brasileiros participará, pela primeira vez na sua história, da Conferência Mundial das Humanidades: Desafios e Responsabilidades para o Planeta em Transição, que terá lugar de 6 a 12 de agosto de 2017 na Universidade de Liège, na Bélgica. Sob os auspícios da sua Majestade Albert II, Rei da Bélgica, a Conferência Mundial está sendo organizada pela UNESCO e pelo Conselho Internacional de Filosofia e Ciências Sociais (CIPSH). 
 
A presença dos membros da delegação afro-brasileira possibilitará o estabelecimento de intercâmbios acadêmicos e culturais frutíferos, assim como de laços com intelectuais e universitários provenientes de todo o mundo. A Conferência agregará cerca de 1.800 participantes dos quatro cantos do planeta, oriundos do meio acadêmico, bem como representantes de organizações internacionais, governamentais e não governamentais. 
 
Além de uma reunião de trabalho com o presidente do CIPSH, professor Adama Samassekou, ex-Ministro da Educação da República do Mali, e com seu primeiro conselheiro, professor Lazare Ki-Zerbo, os membros da delegação participarão de um simpósio com representações africanas tendo em vista a futura organização, no Rio de Janeiro, de um colóquio internacional sobre o tema da intolerância religiosa nos países do Hemisfério Sul. No decorrer da Conferência, serão apresentados os seguintes trabalhos na mesa-redonda “Afro-Brasil no Século XXI: Ativismo, Ação Afirmativa e Novas Perspectivas de Inclusão Social”: 
 
1. “Liberdade e diversidade religiosas no Brasil e seus desafios no planeta em transição” –

​ ​

Professor Babalaô Ivanir dos Santos, Doutorando em História Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Pesquisador do Laboratório de História das Experiências Religiosas (LHER/UFRJ), Diretor Estratégico do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP). 

 
2. “Humanismos: um duplo padrão” –

​ ​

Professor Doutor Jacques d’Adesky, professor visitante da Universidade Federal Fluminense (UFF). 

 
3. “Enterrando o mito do ‘paraíso racial’: ação afirmativa e o debate sobre raça no Brasil” -Carlos Alberto Medeiros, mestre em Ciências Jurídicas e Sociais Doutorando em História Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). 
 
4. “Os impactos da Lei 10.639/3 na educação brasileira e seus reflexos no mundo contemporâneo” -Professora Mariana Gino, Teóloga, historiadora e pesquisadora do Laboratório de História das Experiências Religiosas (LHER/UFRJ) Mestranda em História Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). 
 
5. “Memória social de mobilização de jornalistas brasileiros” (Sandra Martins, jornalista e mestranda em História Comparada pela UFRJ). 
 
Fonte: ASCOM

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *