Breaking News

Denúncias de intolerância religiosa sobem 3.706% em 5 anos

831b953719fd261c9dde48f93389513b

Canal da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos recebe, em média, 376 denúncias por dia

LAURA SCARPELINI 09 MAI 2016 14H40

 

O número de denúncias de intolerância religiosa no Brasil cresceu 3.706% em cinco anos. Foi o que constatou a Secretaria de Direitos Humanos, vinculada ao Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos. Ainda de acordo com a Secretaria, no ano passado o órgão recebeu 556 denúncias relacionadas ao tema.

Em 2011, quando o serviço começou a registrar denúncias de discriminação por religião, apenas 15 casos foram registrados. Atualmente, o crescimento de acusações tem subido a cada ano. Em relação a 2014, foram contabilizados no ano passado 273% mais casos de violações em intolerância religiosa.

Segundo a diretora da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, Irina Karla Bacci, o aumento não representa o número de casos reais. “Muitas das violações que nós recebemos ocorrem no âmbito da internet, com divulgação de vídeos que associam, por exemplo, religiões de matrizes africanas a culto do diabo”, afirma.

Bacci comenta ainda que as pessoas denunciam por se sentirem ofendias como nos casos de terreiros que foram invadidos e queimados.

Dados

O disque-denúncia, juntamente com a ouvidoria on-line e o clique 100, realizou 324.892 atendimentos em 2015, dos quais 42% se referiram ao registro de denúncias de violações de direitos humanos. Mais de 270 mil atendimentos foram para encaminhar denúncias aos órgãos da rede de proteção integral de direitos humanos e aos sistemas de Justiça.

Intolerância religiosa

A intolerância religiosa é considerada um crime de ódio que fere a liberdade e a dignidade humana. O ato se manifesta em casos de violência física, como socos, apedrejamento, humilhações e isolamento social de pessoas, em negação da identidade religiosa por medo de represálias.

A maioria dos ofendidos são adeptos de religiões de matriz africana ou profissionais que abordam conteúdos dessas religiões em classe.

Foto: Arquivo Revide

 

Extraído da versão digital da Revista Revide / Ribeirão Preto – SP
http://www.revide.com.br/noticias/denuncias-de-intolerancia-religiosa-sobem-3706-em-5-anos/

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *