Breaking News

Depois de estrear na Tailândia, Calé Miranda apresenta o espetáculo de dança butoh “Oju Obá” no Rio

Artista criou afro-butoh que mistura potência das artes marciais orientais com força dos orixás

Jornal do Brasil

5/07 às 13h49 – Atualizada em 15/07 às 14h00

 

“Oju Obá- o olho do rei que cai, o olho do rei que se levanta”, que estreou no “11th International Butoh Festival Thailand” em dezembro de 2016, mas ainda inédito no Rio, será apresentado nos dias 21, 22 e 23/7 no Centro Coreográfico do Rio de Janeiro.

Calé Miranda é performer e diretor de teatro dedicado há mais de 10 anos à dança butoh japonesa. Em sua pesquisa artística, junta esta forma de arte iniciada no Japão nos anos 60 à mitología afro-brasileira. Este trabalho peculiar vem despertando cada vez mais o interesse de diversos festivais e programadores internacionais. Com suas criações, Calé está construindo uma ponte constante de intercâmbio entre o Brasil e diversos países. Já se apresentou na França, Itália, Espanha, Tunísia, Peru, Tailândia entre outros. Foi o primeiro brasileiro a cumprir temporada no Centre Bertin Poirée em París, teatro sede do movimento butoh na França, porta de entrada do butoh no Ocidente. Em 2013, o brasileiro apresentou seu espetáculo Ori no importante festival anual de butoh do Centre Bertin Poirée.

SERVIÇO:

Oju Obá- o olho do rei que cai, o olho do rei que se levanta

Días 21, 22 e 23/07

Horario: 21 e 22, sexta-feira e sábado as 20h00m.

23, domingo as 18h00m

Local: teatro Angel Vianna, Centro Coreográfico do rio de Janeiro.

Rua José Higino, 115 – Tijuca

Rio de Janeiro – RJ 20520-201

Tel.: (21) 3238-0601 | 3230-0357

Entrada: R$30,00 e R$15,00 meia entrada

Classificação etária: 10 anos

Tags: afro, apresentação, dança, japão, mistura

 

Extraído do site do Jornal do Brasil / Rio de Janeiro – RJ
http://www.jb.com.br/cultura/noticias/2017/07/15/depois-de-estrear-na-tailandia-cale-miranda-apresenta-o-espetaculo-de-danca-butoh-oju-oba-no-rio/

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *