Breaking News

Devota de São Cosme e Damião distribui doces há 22 anos no ES após promessa para engravidar

Os santos são considerados protetores dos pequenos, por isso, alguns devotos e simpatizantes distribuem doces e guloseimas como forma de homenageá-los ou cumprir promessas

Thaiz Blunck

Redação Folha Vitória

27/09/2016 às 13h36 (Atualizado em 27/09/2016 às 13h42)

 

Os santos são considerados protetores das crianças, por isso é comum a distribuição de doces Foto: Divulgação
Os santos são considerados protetores das crianças, por isso é comum a distribuição de doces
Foto: Divulgação

Não dá para pensar no Dia de São Cosme e Damião sem lembrar das crianças. Celebrada nesta terça-feira (27),  a data é marcada por diversas tradições em algumas regiões do país.

Entre as festividades, a mais conhecida é a tradicional distribuição de doces. Os santos são considerados protetores dos pequenos, por isso, alguns devotos e simpatizantes distribuem doces e guloseimas como forma de homenageá-los ou cumprir promessas.

No Espírito Santo, a tradição já foi bem mais forte há alguns anos, mas mesmo com a crise financeira e outros problemas, algumas pessoas não abrem mão de fazer a distribuição.

A professora aposentada Maria Augusta Marques, de 64 anos, distribui doces há 22 anos para pagar uma promessa. Tudo começou quando ela encontrou um par de sapatinhos no Dia de São Cosme e Damião.

São distribuidas sacolinhas com balas e doces Foto: Divulgação
São distribuidas sacolinhas com balas e doces
Foto: Divulgação

Para fazer a promessa, ela encheu um deles com bala e deixou em uma pracinha de Vila Velha. Um ano depois, a devota recebeu a notícia de que estava grávida e voltou ao local para deixar o outro par. A partir de então, ela distribui doces anualmente.

“Eu queria muito engravidar e não conseguia, então resolvi fazer a promessa, pois São Cosme e Damião são protetores das crianças. Um ano depois da promessa, recebi a notícia de que estava grávida e desde então comecei a distribuir doces todos os anos”, conta.

Vítima de um acidente de trânsito em junho, neste ano ela precisou contar com a ajuda da filha e de outros familiares para organizar os doces, mas não deixou de fazer a distribuição.

Quem também não abre mão de presentear a criançada, é a Mãe Eliane de Ogun. Diferente de Maria Augusta, que é católica, a mãe de santo faz a distribuição de acordo com a tradição umbandista. Segundo ela, na religião os santos também cumprem a função de protetores das crianças e a distribuição de doces é uma maneira de representar todas elas.

“São Cosme e Damião são santos que a igreja católica colocou como protetores das crianças e na umbanda eles também são considerados assim. O que mais representa uma criança é o doce, a doçura e o amor que ela traz, por isso temos o hábito de fazer a distribuição”, explica.

Apesar de ser bem antigo, o costume ainda é mal visto e sofre preconceito por parte de algumas pessoas. Segundo a mãe de santo, a intolerância religiosa ainda é um grande problema, por isso eles optam por fazer festas e comemorações mais reservadas, como acontecerá no próximo sábado (01).

“Hoje em dia se tornou inviável por causa do preconceito e intolerância religiosa. Muitas vezes podemos sair na rua e ter carros apedrejados, como já aconteceu uma vez.  Por isso, preferimos algo reservado, só mesmo para quem quer e sabe do que se trata”, conta.

 

Extraído do site do Jornal Folha de Vitória / Vitória – ES
http://www.folhavitoria.com.br/geral/noticia/2016/09/devota-de-sao-cosme-e-damiao-distribui-doces-ha-22-anos-no-es-apos-promessa-para-engravidar.html

 

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *