Breaking News

DHPP investigará mortes por intolerância religiosa

Da Redação

 

376e373be362d4d902baa04a7d3aea80A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) irá designar um novo delegado para a investigação de crimes motivados por intolerância religiosa em Mato Grosso.

O compromisso foi firmado pelo secretário de Segurança Pública, Rogers Jarbas, em reunião realizada na segunda-feira (08.08) com representantes de diversas correntes religiosas.

Com a saída do delegado Luciano Inácio, recentemente cedido ao Governo Federal para atuar na Ouvidoria do Ministério da Agricultura, as entidades temiam que a atribuição ficasse sem um titular.

“Solicitei que a Polícia Civil indique um novo profissional, dentro do perfil necessário à essa importante tarefa”, assegurou o secretário.

O encontro contou com a presença do superintendente de Políticas de Igualdade Racial da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Antônio Santana da Silva, que reconheceu o apoio da Sesp.

Segundo ele, a indicação de um novo profissional é “urgente”, uma vez que os casos de intolerância religiosa são cada vez mais frequentes.

“A cada dia que passa, essa situação se agrava. É grande o número de ocorrências e ainda maior o de pessoas que não procuram as delegacias para fazer o registro do fato. Essa ponte com a Sesp é fundamental”, avaliou.

Um dos presentes na reunião, Jorge Baranjak denunciou a perseguição contra religiões de origem africana. “Os terreiros estão sofrendo ataques, e seus frequentadores acusados de práticas que não condizem com a realidade. Nós temos que desconstruir essas inverdades”, disse.

Sobre a indicação do novo delegado, o religioso disse que as entidades desejam um novo nome “o mais rápido possível”. “Viemos aqui para reiterar nosso pedido e ver outra pessoa capaz de fortalecer a nossa causa”, declarou.

INVESTIGAÇÃO

Mato Grosso dispõe de um delegado específico para investigar crimes de intolerância religiosa desde agosto do ano passado.

O reforço foi definido após episódios de ataques a uma casa umbandista de Cuiabá e um Centro Espírita de Rondonópolis. “O trabalho deu resultados e precisa continuar. A causa é mais do que justa”, avaliou o secretário.

 

 

Extraído do site de notícias Folhamax / Cuiabá – MT
http://www.folhamax.com.br/policia/dhpp-investigara-mortes-por-intolerancia-religiosa/95095

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *