Breaking News

Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa

Instituído como Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, o 21 de janeiro é uma data marcantepara os brasileiros que lutam pelo respeito entre os diferentes credos. A celebração foi oficializada pela Lei 11.635/07, em homenagem a Gildásia dos Santos e Santos, mais conhecida como Mãe Gilda, do terreiro Axé Abassá de Ogum, em Salvador – Bahia. A religiosa enfartou após ver seu rosto estampado na capa da Folha Universal com a manchete: “Macumbeiros charlatões lesam o bolso e a vida dos clientes”.

Sendo assim, a Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) – com apoio da Globo Rio e do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP) -, que sempre lembrou o ocorrido com alguma atividade, pretende, em 2013, reunir, na Cinelândia, a partir das 9h, representações de vários segmentos para mostrar a possibilidade da convivência entre os diferentes. “O ‘Cantando’ é uma celebração também. Mas muito mais que isso é um evento cidadão, que pretende sempre lembrar e homenagear Mãe Gilda”, diz o interlocutor da CCIR, babalawoIvanir dos Santos.

Além disso, no Centro Cultural Justiça Federal (CCJF) – com apoio da Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH) -, mesas de debates com várias autoridades civis e religiosas prometem levantar pautas referentes ao tema e lançar a segunda edição do livro “Caminhando A gente se Entende”. Ao fim, artistas como Arlindo Cruz e padre Omar se apresentarão no palco principal.
O grupo, que é composto por candomblecistas, umbandistas, hareKrshnas, protestantes, católicos, espíritas, budistas, wiccans, ciganos, seguidores do Santo Daime, judeus, muçulmanos, ateus e agnósticos, disponibilizará barracas em um dos principais pontos do Centro do Rio de Janeiro, em que cada segmento se fará representado e participará, durante todo o dia, de atividades culturais. Cada um, à sua forma, mostrará a disposição de conviver com o outro e um pouco de sua tradição. A Comissão também vai expor toda sua trajetória em uma das estruturas armadas, onde serão arrecadados leite em pó, água, alimentos não perecíveis, material de higiene pessoal e fraldas, para doações às vítimas das chuvas em Xerém, na Baixada Fluminense.

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *