Breaking News

‘É uma evolução poder falar sobre racismo na TV’, diz Lázaro Ramos

Ator esteve com a mulher, Taís Araújo, no ‘Esquenta!’ neste domingo

 

POR O GLOBO

23/10/2016 18:45

Taís Araújo e Lázaro Ramos participaram do Esquenta! neste domingo - Reprodução
Taís Araújo e Lázaro Ramos participaram do Esquenta! neste domingo – Reprodução

 

RIO — A participação de Taís Araújo e Lázaro Ramos no programa “Esquenta!”, neste domingo à tarde, poderia ter se resumido apenas à divertida performance do casal como Michelle e Brau, da série “Mister Brau”. Mas os dois, conhecidos por não fugirem de temas delicados (você se lembra de quando Taís foi vítima de racismo nas redes sociais?), abordaram com naturalidade a questão da desigualdade racial no Brasil.

Ao ser questionado por Regina Casé se já havia sofrido preconceito, Lázaro Ramos contou ter sido vigiado por seguranças dentro de supermercados diversas vezes, o que ele afirmou ser uma situação constante na vida de quem é negro. E ressaltou a importância do debate público sobre o racismo:

— Acho que é uma grande evolução a gente poder falar sobre isso num domingo à tarde. Tem muita gente que diz que é mimimi, que estamos reclamando de barriga cheia, que não se deve falar sobre esse assunto. Não, eu acho o contrário. A gente deve falar sobre isso sim, porque é uma ferida enorme na nossa sociedade — disse o ator, finalizando:

— Sei que tem gente na rede social dizendo “ai, que assunto chato, falando disso de novo”. Não, gatão, não é chato não. Isso aí é para a gente ser cidadão.

Instigado pela apresentadora a falar sobre como a televisão poderia ser mais inclusiva, Lázaro destacou a importância de haver mais diversidade também por trás das câmeras, com roteiristas e diretores que ajudem a contrar histórias mais variadas ou fotógrafos que saibam como iluminar a pele negra.

— O que eu espero é que a gente esteja em todos os lugares e em uma quantidade muito maior. Inclusive essa é um pouco a nossa luta — afirmou o ator, que está viajando pelo país com o espetáculo “O topo da montanha”, onde interpreta o ativista Martin Luther King.

No programa, Regina Casé ainda apresentou o casal a Mirna, aluna de medicina da Uerj, passista da Salgueiro e moradora de uma favela. Ao ouvir a história da estudante, Taís se emocionou:

— Você não sabe o quanto você é importante para mim. Para mim, para a minha filha, para todas as meninas deste país. É muito importante o Brasil saber que você existe — disse a atriz.

 
Extraído do Jornal O Globo / Rio de Janeiro – RJ
http://oglobo.globo.com/cultura/revista-da-tv/e-uma-evolucao-poder-falar-sobre-racismo-na-tv-diz-lazaro-ramos-20341866#ixzz4O386s1L9

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *