Breaking News

Edital com foco na cultura indígena brasileira é prorrogado até 10 de fevereiro

Números de bolsas e categorias dependerão da demanda e da avaliação dos projetos apresentados

  05/01/2016 13:22 - Do FolhaPE, com informações da assessoria   Raimundo Paccó/Agência Pará
Os Jogos Mundiais Indígenas que estão sendo realizados em Palmas, no estado do Tocantins, seguem até o dia 1º de novembro com exibição das principais modalidades de caráter tradicional. Na tarde do último domingo, 25, na Arena Green, os indígenas fizeram exibições de cabo de guerra, arco e flecha e arremesso de lança. FOTO: RAIMUNDO PACCÓ / DIVULGAÇÃO DATA: 25.10.2015 PALMAS - TO
Os Jogos Mundiais Indígenas que estão sendo realizados em Palmas, no estado do Tocantins, seguem até o dia 1º de novembro com exibição das principais modalidades de caráter tradicional. Na tarde do último domingo, 25, na Arena Green, os indígenas fizeram exibições de cabo de guerra, arco e flecha e arremesso de lança.
FOTO: RAIMUNDO PACCÓ / DIVULGAÇÃO
DATA: 25.10.2015
PALMAS - TO
A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), sob a coordenação da Diretoria de Cultura da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, e a Secretaria de Políticas Culturais do Ministério da Cultura (SPC/MinC) prorrogaram, até 10 de fevereiro, o prazo para recebimento de projetos de pesquisa para o edital "Povos Originários do Brasil", cujo foco são acervos de interesse memorial em torno da cultura indígena brasileira. Com recursos de aproximadamente R$ 1,4 milhão, oriundos do Fundo Nacional de Cultura (FNC), o objetivo é incentivar e apoiar a coleta, recuperação, conservação e disponibilização para o acesso público, via internet, de acervos de interesse científico e cultural de bens do patrimônio indígena brasileiro. Podem apresentar propostas pesquisadores vinculados a instituições de caráter cultural, científico e tecnológico – como universidades, bibliotecas, arquivos, museus etc. Os projetos aprovados poderão receber recursos de até R$ 80 mil - destinados exclusivamente ao pagamento de bolsas de pesquisa, como auxílio ao pesquisador. Os números de bolsas e categorias dependerão da demanda e da avaliação dos projetos apresentados. As propostas a serem apoiadas deverão ser executadas em um período de até 12 meses. Confira a íntegra do edital na página da UFPE. Os interessados em mais informações sobre o edital "Povos Originários do Brasil" devem enviar e-mail para o endereço: povosoriginariosdobrasil@ufpe.br. Projetos-piloto Como parte das políticas adotadas pelo MinC, a SPC lançou, em 2013, um projeto-piloto com o intuito de articular uma política nacional que contemple a digitalização de acervos da cultura brasileira. Nesta primeira fase, além da UFPE, por meio do seu Laboratório de Tecnologia da Informação, participa ainda o Laboratório de Políticas Públicas Participativas da Universidade Federal de Goiás (UFG) – com o apoio da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP). O arranjo institucional comtempla a produção de conteúdos, por meio dos editais para acervos digitais lançados pela UFPE, e o desenvolvimento pela UFG de uma solução tecnológica em software livre para disponibilizar tais acervos na internet, que foi batizada de Tainacan e está em fase de testes. O primeiro edital lançado teve como tema “Preservação e Acesso aos Bens do Patrimônio Afro-Brasileiro” e recebeu 92 inscrições. Os 24 selecionados concluíram seus trabalhos em novembro deste ano e os resultados das pesquisas já podem ser acessados.     Extraído do site Folhape / Recife – PE http://www3.folhape.com.br/cms/opencms/folhape/pt/cultura/noticias/arqs/2016/01/0042.html  

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *