Breaking News

Editor do Jornal Awùre é convidado para assessoria de candidato a vereador

Rio de Janeiro, 21.06.2016 02:05

 

texto: sérgio d´giyan

 

582827_380914935294836_332355009_n
Marcelo Dias (Yango), candidato a vereador pelo PSOL e Sérgio d´Giyan, editor do Jornal Awùre

O pré-candidato a vereador pelo município do Rio de Janeiro, Marcelo Dias, conhecido na comunidade religiosa de matriz africana por Yango, convidou o editor do Jornal Awúre para prestar assessoria de imprensa à sua candidatura a vereança pelo PSOL, Partido Socialismo e Liberdade.

O convite foi feito em um almoço na residência do candidato, o que foi prontamente aceito. Para os trabalhos começarem era necessário a filiação ao partido do próprio candidato e sua confirmação, o que será feito durante a convenção do Partido.

Já demos início às atividades da campanha do candidato com um encontro na residência do então candidato pelo PDT, Ogan Jaçanã. Nesse encontro, além de Jaçanã, o escritor e Babalorixá Marcio de Jagun, Presidente da ANMA – Associação Nacional de Mídia Afro, o Presidente do PPLE – Partido Popular de Liberdade de Expressão, Marcelo Monteiro e o ogan Mario Reis, da ARBCULT, discutiram políticas públicas e o cenário das religiões de matriz africana. Dentre os assuntos abordados, a Lei 10.639 do ensino da cultura afro nas escolas, a intolerância religiosa, além de outros temas sobre saúde, educação, mídia afro, alimentação e políticas para as comunidades de terreiro.

Outras reuniões irão acontecer ao longo dessa campanha. Serão ouvidos representantes da Umbanda, sacerdotes do Candomblé, assim como outros candidatos que estarão representando a nossa religiosidade nas eleições por outros municípios do Estado do Rio de Janeiro. O trabalho está só começando, um hot site com as propostas do candidato Marcelo Dias (Yango), um endereço de e-mail, um canal de whatsapp e um perfil no facebook serão criados para que todos possam enviar suas sugestões para uma proposta de trabalho que atenda a maioria. Na ocasião, esses canais serão divulgados, atendendo a legislação eleitoral vigente no País.

Para os irmãos que não conhecem minha trajetória, venho militando na defesa e manutenção das religiões afro-brasileiras desde os primeiros ataques dos adeptos de uma igreja que estava ganhando terreno e orientando seus seguidores a odiar as religiões de matriz africana por entenderem que nos templos dessas religiões se cultuavam o demônio. Casas de santo como a de Mãe Meninazinha de Osun, em São Matheus, além de muitas outras apedrejadas e seus adeptos e orixás insultados e vilipendiados de forma hostil e violenta. Na oportunidade, apoiados por Ivanir dos Santos, na época, Presidente da ASSEAF, Associação dos Ex-Alunos da FUNABEM, entidade sediada no bairro de São Francisco Xavier, na zona norte do Rio de Janeiro, que cedeu um espaço para que Jayro de Jesus, iniciado no Candomblé, pudesse reunir diversos integrantes da Umbanda, do Candomblé e do Movimento Negro para criar um movimento que receberia o nome de IPELCY, Instituto de Pesquisa e Estudo da Língua e Cultura Yorubá. Suas atividades incluíam seminários nas casas de santo, ao todo uns dez seminários foram realizados, lembro muito bem de eventos na casa de Mãe Meninazinha de Osun, em São Matheus, na casa do Babalorixá Nilson de Ossãe (já falecido), no bairro Pacheco, em São Gonçalo; na casa de Mãe Regina de Ogun (já falecida), em Kosmos, além de um Congresso da Tradição e Cultura Yorubá, na UFF, em Niterói.

Hoje, sou editor do site do Jornal Awùre e Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA – Associação Nacional de Mídia Afro. Sou egbomi no Asé Omin Oiyn Ilé, sediado no bairro da Abolição e dirigido pelo sacerdote Jô de Osogiyan, filho de Iyá Nitinha de Osun (já falecida), do Asé Engenho Velho, em Miguel Couto, RJ. Me iniciei no Candomblé no início de 2001, e na Umbanda me iniciei em 1982. Fiz a obrigação de camarinha na Tenda Espírita Nanã Buruquê, dirigido pelo sacerdote Arnaldo de Omulu (já falecido), no Valverde, em Cabuçu, Nova Iguaçu. Sou filho de Osogiyan, orixá funfun guerreiro que guerreia para que a paz seja estabelecida.

 

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *