Breaking News

Em livro, ex diz que Collor fez ritual de magia negra contra candidatura de Sílvio Santos

Rosane conta ainda os problemas com a cunhada Thereza, casada com Pedro Collor

Da Redação (redacao@correio24horas.com.br)

30/11/2014 17:29:00Atualizado em 30/11/2014 21:01:16

 

 

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

A ex-primeira-dama Rosane Malta, que foi casada por 22 anos com Fernando Collor, escreveu uma autobiografia em que revela que o ex-presidente fazia rituais do que chama de “magia negra”, que envolviam sacrifício de animais.

No livro de 222 páginas, que será lançado esta semana, Rosane diz que conheceu Collor, então prefeito de Maceió, em Canapi, sua cidade natal. Collor disse que era seu príncipe e que eles iriam se casar um dia.

Ela revela que na lua de mel Collor convidou amigos para viajar com o casal para a Argentina – o empresário Paulo Octavio e o empreiteiro Luiz Salles, que foram com as respectivas mulheres acompanhando os recém-casados.

Rosane conta ainda os problemas que teve com a cunhada Thereza, casada com Pedro Collor. “Acredito na tese de que os dois tiveram algo antes do meu casamento. Também não duvido que tenha sido por Thereza, por essa obsessão que ela tinha pelo cunhado, que Pedro resolveu destruir o próprio irmão”, diz o livro. As denúncias de Pedro levaram ao processo que culminou com o impeachment de Collor.

Thereza afirma que Rosane é “desacreditada” e terá que provar o que escreveu na Justiça.

Como primeira-dama, Rosane exagerava nos gastos e diz que PC Farias, tesoureiro da campanha de Collor, reclamava dos gastos. “É claro que estava gastando mais! Uma primeira-dama do país gasta mais do que todas as outras”.

Rosane diz que Collor encomendou uma “trabalho” para uma mãe de santo alagoana pedindo que Silvio Santos não fosse seu rival como candidato à Presidência.  Animais eram sacrificados. “Quando tudo acabava, ficava uma sujeira danada, sangue espalhado”, relata.

Atualmente, ela virou evangélica e diz que a fé a ajudou a superar uma depressão em que entrou após um aborto de uma gravidez de gêmeos – fez tratamento com o médico Roger Abdelmassih, condenado a 181 anos por crimes sexuais contra pacientes. Ela diz que “doutor Roger” era amigo do casal.

Rosane diz que foi “poupada” de uma maldição que caiu sobre Collor. “O mais interessante é que, tanto eu como a mãe de santo, aceitamos Jesus e nos afastamos completamente da magia negra… Fomos as únicas que escapamos da tal ‘maldição do impeachment”.

 

Extraído do site do Jornal Correio* 24 Horas
http://www.correio24horas.com.br/detalhe/noticia/em-livro-ex-diz-que-collor-fez-ritual-de-magia-negra-contra-candidatura-de-silvio-santos/?cHash=97f46a45d4bc264b923411ec4e4a3fde

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *