Breaking News

Em meio a protestos, deputados derrubam projeto que proíbe sacrifício de animais.

Postado por: Zero Hora em Brasil 28 de abril de 2015 – 11:25:22

 

O Teatro Dante Barone, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, parecia um cenário de guerra na manhã desta terça-feira. De um lado, estava uma massa de seguidores de religiões de matriz africana. Do outro, separados por uma grade para evitar confronto direto, se reuniam defensores da causa animal.

A casa cheia – de gente, barulho, gritaria e intolerância dos dois lados – tinha motivo: andares acima, a Comissão de Constituição e Justiça analisava o projeto que prevê a proibição do uso de animais em sacrifícios religiosos. Por volta das 10h15min, o projeto de lei 21/2015 foi votado. E, por 11 votos contrários e um a favor, o texto foi considerado inconstitucional pela comissão.

Encaminhado pela deputada Regina Becker (PDT), o projeto pede a exclusão de um parágrafo do Código Estadual de Proteção aos Animais, que permite o sacrifício de animais em rituais religiosos. Devido ao grande número de pessoas que queria acompanhar a votação, a sessão ocorreu no Teatro Dante Barone, que ficou lotado.

Enquanto a sessão era transmitida no telão do teatro, defensores da causa animal usavam apitos, estouravam balões, vaiavam e faziam o maior barulho possível para serem ouvidos pelos deputados.

– Assassino! – gritou uma mulher.

– Bandido! – complementou outra, quando o deputado Mainardi (PT) tomou a palavra e defendeu o livre exercício dos cultos religiosos.

– Aaaaaai, eu estou morrendo de raiva! – berrou uma manifestante, de luvas rosas com as inscrições “love” e “amore” nas mãos.

– Por que tanta raiva?? – perguntou alguém, do outro lado da cerca que separava os grupos.

– Porque esses deputados são uns idiotas!!! – rebateu uma manifestante, com cartaz em mãos.

Para se posicionar a favor do projeto, ativistas vieram do interior do Estado. Para Cátia Giesch, membro do PAC (Proteção Animal Caxias), o debate estava sendo desvirtuado pelos políticos:

– Aqui ninguém é contra à liberdade religiosa, mas ao uso dos animais de forma desumana, com sofrimento e tortura.

Do lado oposto, estavam cartazes contra o “preconceito religioso”. Com batuques e tambores, por volta das 10h (pouco antes do início da votação), religiosos comemoravam a dispersão dos ativista da causa animal do teatro.

Quando se formou um vazio absoluto no lugar antes ocupado pelos manifestantes de camisetas verdes, a massa vestida de branco cantou em coro:

– A Casa (Assembleia) é nossa! A Casa é nossa!

Do lado de fora, nos corredores da Assembleia, ativistas em defesa dos animais retrucavam, com tinta vermelho-sangue no rosto:

– A Casa é do povo!!!

Para Juliano de Oxum, que veio com um grupo de Pelotas, a proposta da deputada Regina Becker (PDT) está “semeando a raiva na população gaúcha”.

– A nobre deputada quer nos ganhar no cansaço. Essa casa é uma trincheira de lutas. Mas já está passando do limite do respeito – disse Juliano.

Foram relatadas agressões dos dois lados e houve pancadaria no corredor, quando os dois grupos deixaram o teatro. O povo do terreiro teve que ser conduzido por outra saída, pra evitar mais bagunça.

Fora, enquanto os religiosos se preparavam pra iniciar uma marcha, um líder religioso pedia o fim da violência ao microfone (em cima de um caminhão de som):

– Nossa voz é o tambor.

 

Fonte: Zero Hora
http://zh.clicrbs.com.br/rs/

Extraído do site de notícias Boa Informação / Porto Alegre/RS
http://boainformacao.com.br/2015/04/em-meio-a-protestos-deputados-derrubam-projeto-que-proibe-sacrificio-de-animais/

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *