Breaking News

Espetáculo infantil sobre orixás estreia no Teatro Municipal de Niterói

29/06/16 06:00

 

Elenco de “Omi - do leito ao mar” vai dar vida a mais de 20 personagens Foto: Tom Marinho / Divulgação Ricardo Rigel
Elenco de “Omi – do leito ao mar” vai dar vida a mais de 20 personagens Foto: Tom Marinho / Divulgação
Ricardo Rigel

 

A arquitetura clássica e europeia do Teatro Municipal de Niterói, no Centro, será palco, a partir de sábado, de uma curta temporada de um espetáculo infantil sobre as deusas da mitologia africana. Apresentar as lendas pouco conhecidas da cultura negra para crianças é o objetivo da montagem “Omi – do Leito ao mar”. O texto é fruto dos estudos do ator gonçalense Gabriel Mendes, de 25 anos, diretor da Cia. Ávida.

Professor de português, o jovem artista percebeu, durante o período de faculdade, que a cultura africana é pouco difundida nos livros, peças e programas televisivos. Inquieto e inconformado com a falta de interesse em falar sobre o tema, ele decidiu convocar os integrantes de sua companhia teatral para, segundo ele, “apresentar aos pequenos um tema que é cercado de preconceito na visão dos mais velhos”.

Elenco em frente ao Teatro Municipal de Niterói Foto: Fabio Guimaraes / Extra
Elenco em frente ao Teatro Municipal de Niterói Foto: Fabio Guimaraes / Extra

— Nossa peça tem um objetivo muito definido que é ensinar aos mais novos, de maneira mais lúdica, sobre essa rica cultura e ao mesmo tempo quebrar o preconceito de alguns pais — explica Mendes: — A obra é desenvolvida e narrada por lavadeiras, à beira de um rio, que se transformam em outros personagens para contar as lendas das deusas Nanã, Euá, Oxum, Iansá e Iemanjá. Todas com uma ligação forte com a água.

Ainda de acordo com o diretor, a montagem que será apresentada no Municipal faz parte de uma trilogia que teve sua primeira história encenada, em 2014, durante o concurso de esquetes “7º Niterói em Cena”.

— Nesse primeiro trabalho a gente apresentou um espetáculo de 15 minutos, que se chamava “Jogo da Velha”. Era o início do nosso mergulho na cultura do povo iorubá. Nós vencemos o concurso na categoria infantil. Agora, o trabalho amadureceu e esperamos lançar , em 2018, o final da trilogia. Será um espetáculo falando sobre Xangô, o orixá do fogo, mas, neste caso, será destinado ao público adulto.

Músicos do espetáculo vão usar instrumentos de origem africana para embalar a história Foto: Fabio Guimaraes / Extra
Músicos do espetáculo vão usar instrumentos de origem africana para embalar a história Foto: Fabio Guimaraes / Extra

Além dos cinco atores gonçalenses, que se desprendem do gênero para viver personagens femininos e masculinos, quatro músicos da mesma cidade embalam a apresentação.

Apresentação embalada por cantigas

Responsável pela composição das músicas que entoam o espetáculo, o ator e compositor Kadú Monteiro, de 30 anos, tentou desenvolver canções de fácil assimilação e que ajudam a facilitar na compreensão das cenas:

— Todo mundo vai sair do teatro cantarolando.

Kadú Monteiro (de turbante branco) é responsável pelas músicas do espetáculo Foto: Fabio Guimaraes / Extra
Kadú Monteiro (de turbante branco) é responsável pelas músicas do espetáculo Foto: Fabio Guimaraes / Extra

 

O espetáculo poderá ser visto neste fim de semana e no próximo, às 16h, no teatro, que fica na Rua Quinze de Novembro, 35, Centro. Ingressos a R$ 20 (idosos e estudantes pagam meia).

 

Extraído da versão on line do Jornal Extra / Rio de Janeiro – RJ
Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/rio/espetaculo-infantil-sobre-orixas-estreia-no-teatro-municipal-de-niteroi-19603648.html#ixzz4D7k2NM70

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *