Breaking News

Espetáculo traça paralelo entre orixás, negação do racismo e vivências dos próprios artistas

  14122016_-treme-terra_-pele-negra-mascaras-brancas Inspirado no livro homônimo de Frantz Fanon, a companhia de dança negra Treme Terra volta aos palcos com o espetáculo “Pele Negra, Máscaras Brancas”. Publicado em 14 de dezembro de 2016 por Periferia em Movimento   Neste sábado (17 de dezembro), a companhia de dança negra Treme Terra apresenta seu espetáculo inédito “Pele Negra, Máscaras Brancas”. Inspirado no livro de mesmo nome de Frantz Fanon, o grupo se baseia em estudos sobre as relações étnico-raciais no Brasil e traça um paralelo entre o livro, a mitologia dos orixás e experiências pessoais relatadas em depoimentos pelos artistas do elenco. Neste trabalho, o livro é utilizado como principal material disparador para as composições coreográficas e musicais. O espetáculo conta com a direção de João Nascimento e Firmino Pitanga. O Treme Terra surgiu em 2006, com o propósito de valorizar, pesquisar e difundir a cultura negra. Em 2009, a companhia estreou sua primeira obra, chamada “Cultura de Resistência”. Em 2012, veio o trabalho “Terreiro Urbano”. O psiquiatra e ensaísta negro Frantz Fanon nasceu na ilha de domínio francês de Martinica, no Caribe, e se envolveu na luta pela independência da Argélia. Seu livro “Pele Negra, Máscaras Brancas” aborda a negação do racismo contra os negros na França e as consequências psicológicas da colonização.  
Anotaí!
O quê? "Pele Negra, Máscaras Brancas"
Ingressos disponíveis (de R$ 7,50 a R$ 25, limitados a quatro por pessoa) pelo site: http://www.sescsp.org.br/programacao/110126_PELE+NEGRA+MASCARAS+BRANCAS. Mais informações: https://www.facebook.com/events/104304026730788/
Quando? Sábado, 17 de dezembro, às 20h
Onde? Sesc Vila Mariana Rua Pelotas, 141 - Vila Mariana (próximo ao Metrô Ana Rosa) - Zona Sul de São Paulo
      Extraído do site Periferia em Movimento / São Paulo – SP http://periferiaemmovimento.com.br/espetaculo-traca-paralelo-entre-orixas-negacao-do-racismo-e-vivencias-dos-proprios-artistas/  

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *