Breaking News

Ex-Bruna Surfistinha diz estar feliz como médium de umbanda

TERÇA-FEIRA, 16 DE FEVEREIRO DE 2016   A DJ Raquel Pacheco (foto) se batizou em 2013 na umbanda e acabou se tornando médium da Casa de São Lázaro, na zona sul de São Paulo. Ela disse que estar feliz porque se encontrou. Raquel ficou famosa quando foi garota de programa e relatou como era sua vida em blog se apresentando como Bruna Surfistinha. Esse relato virou filme.
Raquel incorpora no terreiro a Pombagira
Raquel incorpora no terreiro a Pombagira
Agora, em depoimento escrito a Eliane Trindade, da Folha de S. Paulo, ela contou como a umbanda preencheu de fé o vazio que sentia. “Nunca tinha me identificado com uma religião”, afirmou. “A cada gira [sessão espírita], o médium acaba se conhecendo mais e valorizando mais a vida. Parei de reclamar dos meus problemas, de meus pais não me aceitarem.” Ela é filha de Ogum e no incorpora a Pombagira, uma das entidades mais solicitadas no terreiro. Raquel disse que chegou ao terreiro após ter sonhado em 2011 com sua mãe, que, chorando, parecia querer dizer algo. Uma das amigas de Bruna a levou à Casa de São Lázaro para tomar um passe e ela foi, apesar do preconceito que tinha contra a macumba. A tomar o passe em um fim de semana, um exu mirim lhe disse: 'Tia, aconteceu uma coisa que não posso contar. Você vai ter que procurar sua mãe e saber por ela.' Bruna disse que no mesmo instante teve a certeza de que o seu pai tinha morrido. Na segunda-feira, após de ficar em dúvida se devia entrar em contato com sua mãe, Bruna ligou e contou sobre o sonho, explicando: “O guia me pediu para entrar em contato com a senhora. Eu quero saber”. Então Raquel ficou sabendo que seu pai tinha morrido, sendo enterrado no dia em que ela teve o sonho. No telefonema, a mãe de Raquel disse que a procuraria. “Já faz cinco anos e nada por enquanto.” Seus pais nunca a perdoaram por ter sido garota de programa, mas a Ex-Bruna Surfistinha disse que hoje se sente fortalecida. "O terreiro é um dos poucos lugares que eu me sinto Raquel mesmo. Nas correntes, os médiuns nunca faltaram com respeito comigo. Nunca me trataram como Bruna. Sou Raquel desde o primeiro dia." Com informação da Folha de S. Paulo e foto de arquivo pessoal. Leia mais em http://www.paulopes.com.br/2016/02/ex-bruna-surfistinha-diz-estar-feliz-como-medium-de-umbanda.html#ixzz40MayRtM5  Paulopes informa que reprodução deste texto só poderá ser feita com o CRÉDITO e LINK da origem.   Extraído do Blog do Jornalista Paulo Lopes http://www.paulopes.com.br/2016/02/ex-bruna-surfistinha-diz-estar-feliz-como-medium-de-umbanda.html#.VsOCJGgrLIV

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *