Breaking News

Exposição mostra resistência quilombola de Maria Laurinda

Mostra fotográfica acontece em Cachoeiro a partir de quinta-feira (12).
Abertura acontece na quarta-feira (11) com tradicional roda de Caxambu.

Mariah FriedrichDo G1 ES

11/05/2016 14h32 – Atualizado em 11/05/2016 14h50

 

 

Neste ano, a quilombola esteve no Chile apresentando sua cultura (Foto: Divulgação/Todas as faces de Maria)
Neste ano, a quilombola esteve no Chile apresentando sua cultura (Foto: Divulgação/Todas as faces de Maria)

Mestra de Caxambu, parteira, coveira, mãe de santo, líder comunitária e ativista, além de mãe e avó, Maria Laurinda Adão se tornou uma representante viva da força e da identidade da cultura negra no Brasil e no Espírito Santo.

A história dessa mulher quilombola é contada na exposição “Todas as faces de Maria”, que vai da próxima quinta-feira (12) a 1º de julho, das 8 às 18h, em Cachoeiro de Itapemirim. O evento é aberto a todos os públicos, com entrada gratuita.

Sucesso em Vitória, Santa Leopoldina e Santiago, no Chile, “Todas as faces de Maria” é composta por 40 fotografias (muitas delas inéditas) que retratam diferentes momentos do cotidiano da Mestre Maria Laurinda, nascida na comunidade quilombola de Monte Alegre, em Cachoeiro de Itapemirim.

Exposição revela cotidiano de Mãe de Santo (Foto: Divulgação/Todas as faces de Maria)
Exposição revela cotidiano de Mãe de Santo (Foto:
Divulgação/Todas as faces de Maria)

As obras são de autoria dos fotógrafos Luan Volpato, Renilson Chagas, Dário Dias e Genildo Hauttequest Filho e a abertura oficial da quinta edição da mostra, exibida pela primeira vez na terra natal da quilombola, acontece na próxima quarta-feira (11), às 19h, na Sala Levino Fanzeres da Prefeitura, no Centro do município.

Aos 73 anos e considerada uma das mulheres vivas mais importantes para preservação das raízes e tradições do povo afro-brasileiro, Maria Laurinda se considera uma missionária, percorre o país e o mundo difundindo a cultura que aprendeu com a vivência na comunidade de Monte Alegre.

Ela também foi escolhida para a carregar a tocha olímpica na cerimônia de passagem da tocha pelo estado na próxima segunda-feira (16), quando chega à Cachoeiro de Itapemirim.

“Agora, sim, fico feliz de verdade, porque a minha vida vai ser mostrada ao povo aqui da minha cidade, da terra que eu amo. É muito emocionante ver tudo isso se realizando, essa homenagem, que não é para mim, é para a nossa cultura. Isso tudo é para não deixar morrer nossa tradição”, comenta.

Raiar da Liberdade
Guardiã do treze de maio há mais de 50 anos, evento que anualmente celebra o fim da escravidão desde o ano de 1888, segundo a história oral, Maria estará liderando a tradicional festa do “Raiar da Liberdade” na Comunidade Quilombola de Monte Alegre, município de Cachoeiro de Itapemirim, às 19h desta sexta-feira (13).

Ativismo
Sempre engajada, Maria Laurinda milita em vários movimentos sociais, foi presidente por oito anos da associação folclórica de Cachoeiro de Itapemirim, além de líder quilombola e engajada com diferentes projetos culturais, com ênfase para o Bate-Flecha, Folia de reis, Capoeira e o Caxambu, reconhecido pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

 

saiba mais

 

“Toda manhã quando levanto eu agradeço por essas oportunidades, para mim é uma grande coisa fazer esse trabalho de mostrar a nossa cultura, eu sinto orgulho de quem eu sou. Os mais velhos não tiveram isso, só trabalhavam, eram muito explorados”, conta.

O trabalho de transmissão desse patrimônio imaterial e dos conhecimentos ancestrais acontece pela oralidade e a manutenção dessas tradições é um importante meio de garantia do reconhecimento dos territórios quilombolas.

Já a demarcação, Maria fala que é ainda mais difícil de ser conquistada. “Talvez se não tivessem essa empresas grandes querendo travar nossos direitos não fosse assim”, avalia.

História
Bisneta de Escravo Adão, Maria reside até hoje em Monte Alegre, quilombo fundado por ele e outros negros que fugiram da fazenda Serra, onde eram escravizados. “Eu ouço muita história boa do escravo Adão, aquele tempo as coisas eram difíceis mas a gente era feliz por sermos muito unidos”, comenta.

Serviço
Exposição “Todas as faces de Maria”.

Visitação: 12 de maio a 1º de julho.
Horário: das 8 às 18h.
Local: Sala Levino Fanzeres da Prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim. Rua João Monteiro, Centro, Cachoeiro de Itapemirim
Entrada gratuita

 

 

Extraído do portal de notícias G1 / Espírito Santo
http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/2016/05/exposicao-mostra-resistencia-quilombola-de-maria-laurinda.html

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *