Breaking News

Faleceu em Salvador primeira iyalorixá a se aposentar pelo candomblé

A iyalorixá Ditinha de Oxun, zeladora do terreiro Ilè Omin Alimi, faleceu na noite desta quinta-feira (4).

Enterro está previsto para as 16h desta sexta, no Cemitério Campo Santo.

11377193_997635630269179_3357305462651603479_nMorreu em Salvador Ditinha de Oxum, de 83 anos, primeira iyalorixá a se aposentar pelo candomblé e receber benefícios do INSS, na noite de quinta-feira (4). As informações foram confirmadas pela filha biológica dela, Claudia Maria do Nascimento Pereira, na tarde desta sexta-feira (5). O enterro está previsto para as 16h, no Cemitério Campo Santo.

Claudia Pereira conta que, em outubro de 2000, o Ministério da Previdência Social aprovou um parecer que determina o direito de aposentadoria aos sacerdotes e sacerdotisas das
religiões de matriz africana em todo o país. Ditinha, segundo conta a filha, foi a primeira iyalorixá a obter o benefício.

Ditinha de Oxum atuava no terreiro Ilê Axé Omin Alimi, no bairro de Vista Alegre. Segundo informações de Claudia Pereira, a yalorixá sofreu uma anemia profunda e teve cardiopatia, o que a levou ao óbito. O nome de registro de Ditinha de Oxum era Maria do Nascimento Pereira.

Dona de uma simplicidade peculiar, Mãe Ditinha era atenciosa com todos os filhos de santo e pessoas que a procuravam. Era carinhosa com todos os orixás, principalmente com os erês e as crianças em geral. A nação que cultuava no Candomblé era o djeje savalu.

Redação Awùre 1: Existe uma controvérsia na afirmação de que seria a Iyalorixá Ditinha de Osun a primeira sacerdote dos cultos afro a se aposentar no País, ao que parece, tenho quase certeza de que a primeira Iyalorixá a se aposentar no País como sacerdote do Candomblé seria a Iyalorixá Nitinha de Osun, já falecida, e principal dirigente do Asé Engenho Velho, localizado em Miguel Couto, no Rio de Janeiro.

 

Redação Awùre 2: Tendo em vista a mensagem recebida da Sra. Claudia Maria do Nascimento Pereira, ratifico a informação de que a Iyalorixá Ditinha de Osun (Sra. Benedita Maria do Nascimento Pereira) é realmente a primeira sacerdotiza a se aposentar pelo Candomblé, ao invés da Iyalorixá Nitinha de Osun, do Asé Engenho Velho. De acordo com reportagens publicadas em veículos na época, com o Jornal Correio da Bahia, de 13/09/2000, na Revista Época de 18/09/2000, além de reportagens em canais de TV de Salvador e em outros canais de informação, que confirmam essa informação, o Jornal Awùre, publicamente se desculpa pela publicação do equívoco exposto.

22399_809479455796446_6152139973379586943_n
Capa da Revista Época que publicou reportagem sobre a aposentadoria da Iyalorixá Ditinha de Osun. Imagem cedida pela Sra. Claudia Pereira.

 

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *