Breaking News

Festa à Santa Bárbara reúne multidão na BA: ‘Estarei aqui enquanto viver’

Sob sol forte, devotos vão às ruas e contam histórias de fé e agradecimento.
Iansã para o Candomblé, santa é padroeira de bombeiros e mercados.

Ruan MeloDo G1 BA | 04/12/2014 13h55 – Atualizado em 04/12/2014 14h32

 

santa_7
Fiéis lotam Pelourinho em festa à Santa Bárbara (Foto: Max Haack/Ag. Haack)

 

Foi com muita oração e música que centenas de devotos se reuniram para comemorar o dia de Santa Bárbara, madrinha do Corpo de Bombeiros e padroeira dos mercados, em celebração no Largo do Pelourinho, Centro Histórico de Salvador, nesta quinta-feira (4). As homenagens começaram às 6h, com uma alvorada de fogos de artifício, e contaram com a presença de uma multidão de fiéis, de todas as idades. Confira AQUI toda a programação do dia e AQUI a galeria de imagens da festa.

Iansã para os adeptos do Candomblé, Santa Bárbara inspira a devoção de alguns fiéis antes mesmo do nascimento. “Meu pai sempre foi devoto, pedia proteção para Santa Bárbara e eu acabei nascendo bem no dia dela. Hoje estou aqui comemorando 53 anos de idade e a homenageando. Enquanto viver, estarei aqui para agradecer a ela por tudo”, disse o devoto Balbino Oliveira, que assim como centenas de outros, enfrentou o sol forte de Salvador para participar das homenagens no Pelourinho.

 

Integrantes da igreja católica saem pelas ruas do Pelourinho (Foto: Max Haack/Ag. Haack)
Integrantes da igreja católica saem pelas ruas do
Pelourinho (Foto: Max Haack/Ag. Haack)

 

“Na minha casa tudo começou com meu pai. No dia do nascimento da minha irmã, ele acendeu uma vela para Santa Bárbara pedindo proteção. Minha irmã nasceu bem, ele colocou o nome dela de Bárbara e a partir daí, passei a ser devota também”, recorda a aposentada Celeste Rocha, de 63 anos.

 

Emocionada, Celeste conta que, mesmo doente, faz questão de participar todos os anos dos festejos em homenagem à santa. “Estou doente do coração e estou aqui. Nunca trabalhei no dia de Santa Bárbara. Meus patrões sempre souberam que esse dia é dela. Em minha casa eu arrumo tudo, coloco flores. Santa Bárbara me concede tudo que peço”, comemora.

 

Após a alvorada, os fiéis participaram de uma missa campal presidida pelo pároco da Catedral Basílica e capelão da Igreja do Rosário dos Pretos, padre Lázaro Muniz. “O devoto de Santa Bárbara vai além do dia 4 de dezembro. Vivemos em um mundo onde as pessoas não são capazes de entender a opção de cada um. Que cada um seja respeitado pela ideia que defende. Precisamos preservar a nossa fé”, disse o padre durante a celebração.

 

Festa à Santa Bárbara, em Salvador (Foto: Max Haack/Ag. Haack)
Festa à Santa Bárbara, em Salvador (Foto: Max Haack/Ag. Haack)
Casal Josenilson e Silvana Santos com a filha Maria Débara e Kaike Santos com a mãe Ana Paula Santos (Foto: Arte/G1)
Casal Josenilson e Silvana Santos com a filha
Maria Débara e Kaike Santos com a mãe Ana Paula
Santos (Foto: Arte/G1)

 

Fé maior que o tempo
Aos três meses de idade, a pequena Maria Débora também vestiu vermelho para homenagear Santa Bárbara. Ela foi acompanhada dos pais, Josenilson e Silvana Santos. “Nós somos devotos de Iansã e é tradição para a gente homenagear ela. Viemos pedir saúde, paz e segurança para nossa família”, disse Josenilson.

 

Quem também fez questão de participar foi Kaique Santos, de dois anos e cinco meses. Pelo menos isso é o que garante a mãe dele, a cozinheira Ana Paula Santos. “É a terceira vez que ele vem comigo. Na primeira, ele ainda estava na minha barriga. Pra mim, Santa Bárbara é tudo. Abaixo de Deus só ela. Eu tenho quatro filhos e tudo que peço ela me concede”, garante Ana Paula.

 

Nida Santos participou de toda procissão aos 80 anos (Foto: Ruan Melo/G1)
Nida Santos participou de toda procissão aos 80
anos (Foto: Ruan Melo/G1)

Outros que mostraram disposição e acompanharam toda a missa campal em pé foram os irmãos Aécio e Raimundo Passos, de 74 e 67 anos. “Minha obrigação é acender vela para ela todas as quartas-feiras. Mas eu só peço a ela alguma coisa se não puder realizar de jeito nenhum por mim mesmo. Só peço em última ocasião porque sei que assim o pedido tem mais força”, acredita.

Após a missa, os devotos seguiram em procissão no Centro Histórico pelas ruas Gregório de Matos, João de Deus, Terreiro de Jesus e Ladeira da Praça. O trajeto foi até a corporação do Corpo de Bombeiros, localizado na Barroquinha, onde uma homenagem à santa foi realizada.

 

Mesmo com a perna machucada, Nilzete Pereira acompanha procissão (Foto: Ruan Melo/G1)
Mesmo com a perna machucada, Nilzete Pereira
acompanha procissão (Foto: Ruan Melo/G1)

Ecoando cânticos católicos e do candomblé, os fiéis percorerram todo o trajeto debaixo de muito calor com muita alegria. Alguns, mesmos com a perna machucada, cumpriram todo o percurso.

“Se Deus quiser ela vai me curar”, disse a devota Uilzete Pereira durante a caminhada. “Em minha casa Santa Bárbara é rainha. Faço questão de seguir a procissão, fico até o final”, completou a posentada Nida Santos, de 80 anos.

Cortejo saiu pelas ruas do Pelourinho (Foto: Max Haack/Ag. Haack)
Cortejo saiu pelas ruas do Pelourinho (Foto: Max Haack/Ag. Haack)
Festa à Santa Bárbara, em Salvador (Foto: Max Haack/Ag. Haack)
Festa à Santa Bárbara, em Salvador (Foto: Max Haack/Ag. Haack)
Santa Bárbara é padroeira do Corpo de Bombeiros (Foto: Max Haack/Ag. Haack)
Santa Bárbara é padroeira do Corpo de Bombeiros (Foto: Max Haack/Ag. Haack)