Breaking News

Festa do Fogo fecha ciclo junino no Pátio de São Pedro

Programação no Centro do Recife começa às 19h e homenageia o Orixá Xangô

Publicado em 30/06/2016, às 06h50

Uma fogueira será acesa para louvar o rei da festa no Pátio de São Pedro Edmar Melo/Arquivo JC Imagem
Uma fogueira será acesa para louvar o rei da festa no Pátio de São Pedro
Edmar Melo/Arquivo JC Imagem

JC Online

O Pátio de São Pedro se despede dos festejos juninos nesta quinta (30), a patir das 19h, com a Festa do Fogo, uma celebração dedicada ao Orixá Xangô, a Divindade do Trovão e da Justiça, e seu elemento, o Fogo. A tradicional festa encerra o Ciclo Junino do Recife no pátio, que este ano trouxe o tema “São João sem Racismo”. A proposta é valorizar a cultura afrodescendente e combater o preconceito através do conhecimento.

Na cerimônia os adoradores do Candomblé cantam e reverenciam seu belo Rei, num ritual carregado de energias positivas e devoção. Serão entoados cânticos de louvor a Xangô e seus devotos comem o gbègìrì, uma iguaria feita com quiabo, carne de peito bovina, rabada bovina, camarão, castanha, amendoim, cebola, cebolinha, pimenta e sal, tudo regado ao azeite de dendê. É o prato predileto de Xangô, rei da festa.

Os devotos dançam ao redor de uma grande fogueira, para louvar o Fogo. A festa é aberta ao público, que está convidado a conhecer um pouco mais sobre cultura afro-brasileira.

A Festa do Fogo é uma ação da Caminhada dos Terreiros de Pernambuco e conta com o apoio da Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Cultura e Fundação de Cultura Cidade do Recife.

 

Extraído da versão digital do JC online – Jornal do Commercio / Recife – PE
http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/noticia/2016/06/30/festa-do-fogo-fecha-ciclo-junino-no-patio-de-sao-pedro-242298.php

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *