Breaking News

‘Fomentaram o ódio’, diz Feliciano sobre queima de Bíblia no AC

Polícia Civil do Acre instaurou inquérito para investigar caso.
Bíblia foi queimada durante sarau na Ufac, em Rio Branco, no último dia 30.

Caio Fulgêncio | Do G1 AC | 09/05/2015 10h50 – Atualizado em 09/05/2015 10h50

 

 

BibliaO pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) repudiou a queima de uma Bíblia, ocorrida durante um sarau na Universidade Federal do Acre (Ufac) no último dia 30 de abril. Ao G1, Feliciano disse acreditar que os envolvidos no ato precisam ser responsabilizados.

“Eu respeito a todos, inclusive, ateus, mas no momento em que eles vilipendiam um símbolo religioso universal, têm que arcar com esta responsabilidade com o agravante de ter sido utilizado o espaço de uma universidade federal. Demonstrando uma intolerância religiosa inadmissível no dias de hoje, fomentando ódio entre compatriotas”, afirmou.

Deputado Marco Feliciano (PSC-SP) repudiou queima de Bíblia no AC (Foto: Gabriela Korossy/Câmara )
Deputado Marco Feliciano (PSC-SP) repudiou queima
de Bíblia no AC (Foto: Gabriela Korossy/Câmara )

Em sua fanpage no Facebook, o deputado chegou a dizer o ato foi uma demonstração de “intolerância religiosa e incitação ao ódio” e disse que orava pelos que queimaram o exemplar da Bíblia. “Finalizo esse protesto, lembrando a minha condição de pastor, pedindo a Deus que ilumine essas mentes com a luz do conhecimento que liberta e derrame as mais especiais bênçãos dos céus sobre todo povo lindo do estado do Acre”, acrescentou.

 

Feliciano disse ainda que chegou a enviar e-mail e ofício para a Polícia Civil solicitando instauração de inquérito por vilipêndio a símbolo religioso.

De acordo com o secretário de Polícia Civil do Acre, Carlos Flávio Portela, o documento chegou ao órgão na quinta-feira (7) e um inquérito já foi instaurado na Delegacia da 4ª Regional de Rio Branco para investigar o caso. Ainda segundo ele, os responsáveis pela queima da Bíblia poderão ser enquadrados no artigo 208 do Código Penal Brasileiro.

“O delegado vai requisitar imagens, identificar os autores do pretenso crime, chamar testemunhas. Inclusive, se ficar comprovado a participação de mais de uma pessoa no vilipêndio praticado, todos responderão nos termos do artigo 208, cuja pena não supera 1 ano de detenção”, explica.

Bíblia foi queimada em sarau realizado dentro da Universidade Federal do Acre (Foto: Reprodução/Rde Amazônica)
Bíblia foi queimada em sarau realizado dentro da Universidade Federal do Acre (Foto: Reprodução/Rde Amazônica)

Entenda o caso
Um exemplar da Bíblia foi queimado durante um sarau, no último dia 30 de abril, pelo vocalista de uma das bandas que se apresentavam no evento, a Violação Anal. O evento fazia parte da programação do 4º Encontro Nacional de Ateus, realizado no campus da Ufac, em Rio Branco.

Em seu perfil no Facebook, o vocalista da banda, Roberto Oliveira da Silva, de 29 anos, questionou a repercussão do ato. Ele negou que tenha algum tipo de preconceito contra religiões. “Quem me conhece sabe no que eu acredito, e sabe que não sou intolerante religioso”, disse.

O músico disse ainda que não se arrepende do ato. “Acredito que o homem pode e deve exercer sua liberdade, e isso implica em assumir a responsabilidade de seus atos. Não quis ofender nem ferir o credo de ninguém, mas se incomodei, que reflitam sobre as suas práticas mediante a minha. Já faz tempo que não acredito que é certo virar a outra face quando te batem”, acrescentou.

Após o sarau, a Ufac emitiu nota suspendendo a realização de eventos do tipo. O reitor Minoru Kinpara afirmou que a medida foi tomada, principalmente, devido aos eventos não serem restritos à comunidade acadêmica.

“O estado é laico e assim está claro na nossa Constituição. Mas o estado laico não significa que o estado é ateu. O ateu vai ter espaço e quem não é ateu também. Quem acredita na Bíblia como livro santo vai ter espaço e que não acredita também. Uma convivência com respeito e a universidade precisa dar esse exemplo”, finaliza.

 

Extraído do portal de notícias G1 / Rio Branco – AC
http://g1.globo.com/ac/acre/noticia/2015/05/fomentaram-o-odio-diz-feliciano-sobre-queima-de-biblia-no-ac.html

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *