Breaking News

Goiânia Mostra Curtas promove reflexão e valorização do cinema negro brasileiro

09/09/2016 18h49 – Por Amanda Damasceno

Mostra especial é composta apenas por curta-metragens produzidos por realizadores negros; curadoria é assinada pela cineasta Flávia Cândida

Mostra especial traz filmes com realizadores negros | Foto: Filme Kbela | Divulgação
Mostra especial traz filmes com realizadores negros | Foto: Filme Kbela | Divulgação

Entre os dias 4 e 9 de outubro ocorre em Goiânia a 16ª edição do Goiânia Mostra Curtas. O evento promove e divulga curtas-metragens produzidos em todo o território nacional e neste ano traz, além das mostras competitivas, uma mostra especial: a Curta Mostra Especial – Cinema Negro Brasil Contemporâneo.

Diferentemente das demais integrantes da programação do festival, a seleção de filmes é temática e tem o objetivo de criar um espaço de debate e reflexão acerca do tema, escolhido anualmente pela diretora da Goiânia Mostra Curtas, Maria Abdalla. Segundo ela, o espaço “propõe um encontro entre expoentes do início do cinema negro no País e representantes da nova geração, que está cada vez mais forte. O protagonismo do negro transcende o cinema e precisa ser celebrado diariamente, em todas as esferas”.

Entre os nomes homenageados na Curta Mostra Especial figuram Zózimo Bulbul (in memoriam), Adelia Sampaio e as atrizes Ruth de Souza e Chica Xavier que são, respectivamente, um dos maiores expoentes da cinematografia afro-brasileira dos anos 60 e 70, a primeira realizadora negra brasileira em longa-metragem e as Damas Negras.

A curadoria foi assinada pela produtora e cineasta Flávia Cândida, com produção do, também cineasta, Clementino Júnior, que soma experiências de docência audiovisual e diretor do Cineclube Atlântico Negro, no Rio de Janeiro. A mostra especial ocorre nos dias 4, 8 e 9 de outubro.

Flávia relatou que buscou um recorte variado das produções assinadas por cineastas negros, retratando diferentes regiões do País, com uma diversidade temática e fora dos estereótipos.  “A programação foi fruto de uma pesquisa, do que vemos vendo ao longo dos últimos anos. Não são filmes de militância, mas de cunho autoral, com uma pegada artística e menos panfletária”, declarou.

Na agenda, além da exibição de filmes, haverá debate com participação de Clementino Júnior; a ex-secretária municipal de Políticas de Promoção de Igualdade Racial, Ana Rita de Castro; a idealizadora do Fórum Itinerante de Cinema Negro (Ficine), Janaína Oliveira; o cineasta premiado internacionalmente Jefferson Dê; e a cineasta, diretora e fundadora da Afroflix de apenas 24 anos, Yasmin Thayná.

Clementino Júnior encarou o tema da mostra como uma boa surpresa.  “A produção de cinema no Brasil é diversa e nós, negros, fazemos parte dessa construção. Cada vez mais, vemos de forma nítida uma presença maior negra, no papel de roteiristas, diretores e atores. Contudo, infelizmente, em muitos outros festivais, programas e materiais audiovisuais adquiridos por veículos não vemos essa representação negra. Por isso, é preciso questionar, entender e dizer ‘sim, estamos aqui’”, explicou.

Além da Mostra Especial, o festival apresenta quatro outras mostras: Curta Mostra Brasil, Curta Mostra Goiás, Curta Mostra Municípios e 15ª Mostrinha – dedicada ao público infantil. Junto com os filmes, há palestras, oficinas, seminários, painel e laboratório. Toda a programação é gratuita.

 

 

Extraído do jornal Opção / Goiânia – GO
http://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/goiania-mostra-curtas-promove-reflexao-e-valorizacao-do-cinema-negro-brasileiro-74657/

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *