Breaking News

Grande prêmio da cultura afro do Rio acontece dia 11

11 iniciativas serão premiadas em sete categorias que vão desde promoção da cultura à mídia e comunicação

Por  Redação

 -2 de outubro de 2017

Em meio a inúmeros casos de intolerância religiosa no Rio de Janeiro, o Prêmio Osé Mimo 2017 vem na contramão do preconceito, reconhecendo os principais agentes que promovam a Cultura afro-brasileira e combatam a discriminação e  racismo. O evento acontecerá no dia 11 de outubro, a partir das 18h, no Teatro Carlos Gomes (Praça Tiradentes, s/n). O prêmio será apresentado pelo jornalista e pesquisador Marcelo Reis e pela atriz Bianca Lima, com participação do ator Milton Filho.

A companhia CorpoAfro, coreografada por Eliete Miranda fará apresentação especial ao som da Orquestra de Atabaques, regida por Natanael Souza. A iniciativa conta com o apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro, através da Secretaria Municipal de Cultura.

A Ialorixá Mãe Beata de Iemanjá, falecida no dia 27 de maio deste ano, será exaltada por sua trajetória cultural, política e religiosa. Como o Orixá Xangô é o grande patrono do prêmio, esse ano a companhia de dança Corpafro, através da coreógrafa Eliete Miranda trará nas performances as os orixás femininos conhecidos como Iyabas Iansã, Obá e Oxum, esposas do deus da justiça. A energia feminina regerá todo o tom artístico da premiação, com direção artística de Fábio e Rodrigo França.

Onze organizações da sociedade civil, coletivos ou pessoas físicas serão premiados em sete categorias: Promoção da Cultura; Manutenção do Patrimônio Material e Imaterial; Proteção dos Direitos; Respeito entre as Religiões; Serviço Social e Ações de Sustentabilidade; Mídia e Comunicação; e Combate ao Racismo e Discriminação. Os indicados só saberão o resultado no dia do evento.

O Prêmio Ose Mimo fará uma ligação entre o passado e o futuro. Será uma grande festa em exaltação à ancestralidade africana. O presente e o futuro gratos e reverenciando o passado. Se hoje cultuar alguma religião de matriz africana é um ato de resistência, imagina para aqueles que construíram um grande legado religioso. Não se solidifica uma cultura sem olhar para a história de um povo, de uma nação. Acrescentando com uma grande homenagem ao empoderamento feminino.

Prêmio Ose Mimo 2017

Organizado pelo coletivo homônimo ao prêmio, Osé Mimọ significa machado sagrado, e foi idealizado por quatro casas de religiões de matriz africana: Ilé Aşé Efón, liderada pelo Babalorişa Elias d’ Iansã; Ilé Aşé Oiyá Iyá Mí, da Iyalorişa Rita d’ Oiyá; Ilé Aşé Oiyá Tolore Osun, da Iyalorişa Neném d’ Iansã; e Ilé Aşé Omin Odara, do Babalorişa Carlinhos d’ Oşaguian. O prêmio e o coletivo buscam contribuir com a preservação da diversidade étnica e cultural do país, através da promoção, reconhecimento e valorização de atores que colaboram para a promoção e salvaguarda da cultura, o respeito entre as religiões, com ações de visibilidade e de manutenção do patrimônio e a proteção dos direitos difusos ou coletivos.

Serviço

O Prêmio Osé Mimo 2017 acontecerá no dia 11 de outubro, a partir das 18h, no Teatro Carlos Gomes (Praça Tiradentes, s/n, Centro).

 

Extraído do site Sopa Cultural / Rio de Janeiro – RJ
https://www.sopacultural.com/grande-premio-da-cultura-afro-do-rio-acontece-dia-11/

About The Author

Sérgio Carvalho se iniciou na Umbanda, pelo Babalorixá Arnaldo de Omulu (in memorian), na T.E.Nanã Buruquê, realizando sua camarinha em dezembro de 1995. Em 2001, se iniciou no Candomblé pelas mãos do Babalorixá Jô d´Osogiyan, no Asé Omin Oiyn Ilè, sendo neto de Iyá Nitinha d´Osun (in memorian), do Asé Engenho Velho - Miguel Couto - RJ. Militante em prol da defesa da religião afro-brasileira, ingressou nas fileiras do extinto IPELCY (Instituto de Pesquisas e Estudo da Língua e Cultura Yorubá), dirigido por Jairo d´Osogiyan. Exerce o cargo de Diretor de Cultura e Comunicação da ANMA - Associação Nacional de Mídia Afro. É proprietário da agência Marfim Assessoria & Eventos. Faz parte da equipe de duas das maiores premiações do jornalismo brasileiro, o Embratel e o Petrobras. É editor responsável pelo jornal web Awùre – http://www.awure.jor.br – veículo que aglutina os momentos mais importantes da cultura e religiosidade afro-brasileira.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *